sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Governo britânico exclui segundo referendo em resposta a peticionários

O Governo britânico respondeu hoje a mais de quatro milhões de cidadãos que assinaram a petição para um segundo referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia ('Brexit'), excluindo a realização de nova consulta popular.

Reuters


Segundo a agência France Presse, cada signatário da petição recebeu um 'email' (mensagem de correio eletrónico) do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

A petição vinha pedir ao Governo que criasse uma regra para que a decisão de sair ou ficar na União Europeia fosse anulada se tivesse menos de 60% dos votos, quando a votação que determinou o 'Brexit' obteve 51,9%.

A petição defende ainda que com taxa de participação inferior a 75% o referendo deve ser repetido, quando o último, de 23 de junho, obteve 72% de participação.

Na resposta aos peticionários, o Governo britânico argumentou que nenhum limiar mínimo de afluência às urnas tinha sido definido quando foi aprovado o referendo para manutenção ou não do Reino Unido na União Europeia.

"Como o primeiro-ministro disse claramente na sua declaração perante a Câmara dos Comuns em 27 de junho, o referendo foi o maior exercício democrático na história britânica, com mais de 33 milhões de pessoas que se pronunciaram", refere a mensagem enviada aos signatários da petição.

O 'email' adianta que "a decisão deve ser respeitada" e que se deve manter a preparação de processo de saída da União Europeia.

Lusa

  • Quando se confunde o pedal do travão com o acelerador
    0:38

    Mundo

    Na China, chegam imagens de um acidente fora do normal. Um homem parou o carro e saiu para cumprimentar um amigo. Enquanto conversavam, a viatura começou a descair lentamente. O condutor correu de imediato para o carro. Com as mãos já no volante, tentou evitar o pior mas em vez de carregar no travão, carregou no acelerador.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.