sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Merkel avisa que saída britânica pode ser um "ponto de rutura" para a UE

A chanceler alemã, Angela Merkel, reconheceu que a saída britânica da União Europeia (UE), conhecida como Brexit, pode ser um "ponto de rutura" para o bloco comunitário, pedindo aos parceiros europeus medidas responsáveis para enfrentar o futuro.

"O Brexit não é apenas um acontecimento, pode ser também um ponto de rutura na história da União Europeia", advertiu a responsável alemã numa conferência de imprensa conjunta na capital polaca, Varsóvia, com os chefes de governo dos países do Grupo de Visegrado (Hungria, Polónia, República Checa e Eslováquia).

Este encontro acontece cerca de três semanas antes da reunião informal de líderes europeus em Bratislava (Eslováquia), agendada para 16 de setembro. A cimeira europeia, que não vai contar com a presença do Reino Unido, terá como principal ponto de agenda o debate sobre a saída britânica e o futuro da UE.

"Bratislava não será um fim, mas sim o princípio", afirmou Merkel, sublinhando ainda que as consequências do 'Brexit' devem ser encaradas com "responsabilidade" e que as medidas a adotar devem ter em conta um futuro próspero para os europeus.

"Os cidadãos só vão aceitar uma União Europeia que faça tudo o possível para prosperar", frisou.

Por sua vez, os líderes do Grupo de Visegrado pediram reformas profundas para adaptar a UE ao cenário pós Brexit, bem como criticaram a forma como Bruxelas tem gerido a crise dos refugiados.

As conversações que hoje decorrem em Varsóvia estão focadas nas questões migratórias, mas também em assuntos económicos e em matérias relacionadas com a segurança. Este último tema tem preocupado especialmente os governos da Polónia e da Hungria.

Na capital polaca, o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, pediu hoje a criação, logo que possível, de um exército europeu comum.

Lusa

  • Fugiram 52 reclusos das cadeias portuguesas nos últimos 5 anos

    País

    Nos últimos 5 anos fugiram 52 reclusos das cadeias portuguesas, tendo esta madrugada ocorrido a primeira evasão de 2017, com três detidos em fuga do estabelecimento prisional de Caxias. Dados divulgados hoje pela Direção-geral de Reinserção e Serviços Prisionais após a fuga de três reclusos presos preventivamente em Caxias, Concelho de Oeiras, indicam que no ano passado ocorreram cinco operações de fuga que envolveram seis reclusos e que em 2015 fugiram dois presos das cadeias portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.

  • Mouchão da Póvoa em risco de desaparecer
    1:58

    País

    A Câmara Municipal de Vila Franca de Xira alerta para o risco de desaparecimento do Mouchão da Póvoa, uma dos três mouchões do Tejo, no concelho. Em causa está a falta de autorização, pedida à Agência Portuguesa do Ambiente, para uma intervenção de emergência nos diques.

  • Lixo, para que te quero?
    23:17
  • Tuk-tuk em protesto oferecem hoje passeios gratuitos em Lisboa

    País

    A Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos (APECATE) promove hoje a iniciativa "Cá vai Lisboa", com passeios gratuitos de tuk-tuk, para alertar a população para a "problemática" regulamentação municipal deste tipo de veículos.

  • Ricardo Robles apresentado como candidato do BE a Lisboa
    1:31

    Autárquicas 2017

    Ricardo Robles foi formalmente apresentado este sábado como candidato do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal de Lisboa. No encerramento da convenção autárquica do partido, Catarina Martins fez críticas ao Governo, dizendo que o projeto de descentralização do Executivo é perigoso e ameaça a democracia.