sicnot

Perfil

Caso CGD

Caso CGD

Caso CGD

CGD gastou 20M€ no 1º semestre no programa de reformas antecipadas

A Caixa Geral de Depósitos gastou, no primeiro semestre, 20 milhões de euros no Plano Horizonte, para saída de trabalhadores através de reformas antecipadas, apesar de as contas esta quarta-feira divulgadas não revelarem quantos colaboradores saíram até junho.

Segundo o comunicado hoje divulgado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), nos primeiros seis meses do ano, os custos com pessoal caíram 0,7% em termos homólogos para 374,5 milhões de euros.

No entanto, diz o banco público, essa redução seria ainda maior - de 6% - se fossem excluídos os gastos com o Plano Horizonte, que ascenderam a 20 milhões de euros.

No entanto, a CGD não divulga nem as saídas de trabalhadores em reformas antecipadas nem o total de funcionários que tinha no final do primeiro semestre, pelo que não é possível comparar para saber quantos rescindiram.

O Plano Horizonte foi lançado em 2015 com vista à saída de trabalhadores por reformas antecipadas e o objetivo é que seja fechado este ano.

Só no ano de 2015 saíram da operação em Portugal 514 pessoas, com a 'fatia de leão' dos trabalhadores a ser referente ao Plano Horizonte.

Em fevereiro, o presidente executivo da CGD, José de Matos, disse aos jornalistas que, além dos mais de 300 trabalhadores que saíram em 2015 ao abrigo daquele plano, em 2016 ainda podiam sair ainda mais 700 no mesmo âmbito.

Quando apresentou os resultados do primeiro trimestre, a CGD revelou a saída de 103 colaboradores.

A CGD está em reestruturação e tem vindo a reduzir funcionários, tal como a maioria dos bancos, tendo o Governo já dito aos sindicatos que a redução de efetivos é para continuar e que entre 2017 e 2020 deverão ser cortados mais 2.500 postos de trabalho, através de reformas e rescisões antecipadas.

Lusa

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Proteção Civil aponta falhas do SIRESP, operadora diz que esteve à altura do fogo
    4:22
  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.