sicnot

Perfil

Caso CGD

Governo quer alterar lei bancária para recuperar nomes chumbados para a CGD

Governo quer alterar lei bancária para recuperar nomes chumbados para a CGD

O Governo vai alterar a lei bancária para que os oito nomes chumbados pelo BCE possam integrar a administração da Caixa Geral de Depósitos. O executivo quer que a lei permita que estes administradores acumulem mais cargos em diferentes administrações.

  • Administração da Caixa aprovada com nomes chumbados pelo BCE
    1:22

    Caso CGD

    O Banco Central Europeu aprovou a nova administração da Caixa Geral de Depósitos. O presidente, António Domingues, poderá acumular funções mas apenas durante o próximo meio ano. De fora ficam 8 administradores que o regulador rejeitou por excederem o limite de cargos em órgãos sociais de outras sociedades.

  • BCE chumbou a incompetência do Governo, diz PSD
    1:30

    Caso CGD

    O PSD diz que mais do que os nomes da nova administração, o Banco Central Europeu chumbou a incompetência de um Governo que não cumpre a própria lei. Os sociais-democratas consideram ainda patético o anúncio de alterações legislativas.Já o CDS defende que o Governo devia aproveitar a oportunidade para reduzir o número e os vencimentos dos administradores da Caixa Geral de Depósitos.

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.