sicnot

Perfil

Caso CGD

Caso CGD

Caso CGD

PSD desiludido com debate sobre a Caixa no parlamento

O deputado social-democrata Hugo Soares criticou esta quinta-feira as informações prestadas pelo Governo no debate sobre a Caixa Geral de Depósitos (CGD), considerando que a intervenção do secretário de Estado do Tesouro e das Finanças, Mourinho Félix, foi uma nulidade.

"Agora percebo porque é que o senhor ministro das Finanças (Mário Centeno) não veio hoje ao parlamento. Para dizer o mesmo que disse o senhor secretário de Estado, isto é equivalente a zero", atirou o deputado durante o debate sobre o banco público na comissão permanente da Assembleia da República.

E reforçou: "Aquilo que o senhor secretário de Estado veio aqui fazer foi igual a zero".

De resto, Hugo Soares sublinhou que "o senhor ministro das Finanças mentiu na comissão de inquérito" à CGD.

Isto, porque segundo o deputado do PSD, Centeno, "ao mesmo tempo que dizia que não sabia qual era o valor necessário para a recapitalização e que só uma auditoria externa o poderia definir, negociava em Bruxelas um valor concreto".

Segundo Hugo Soares, o executivo socialista "enganou o país quando disse que Bruxelas aceitou o que o Governo quis".

O responsável perguntou ainda a Ricardo Mourinho Félix se "é verdade que 800 milhões de euros [do total da injeção de dinheiro público na CGD] vão ser usados para pagar as rescisões. Isso dá a saída de quase 5.000 trabalhadores".

E questionou também se "está tudo fechado com Bruxelas?".

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras