sicnot

Perfil

Caso CGD

Caso CGD

Caso CGD

PSD pede transcrição das SMS entre António Domingues e Centeno

TIAGO PETINGA

O PSD vai requerer ao ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos, António Domingues, a transcrição das mensagens escritas que trocou com o ministro das Finanças, para clarificar a "extensão da mentira de Mário Centeno" e o envolvimento do primeiro-ministro.

Última atualização às 12:00

"Vamos hoje dar entrada de um requerimento (na comissão parlamentar de inquérito à gestão da Caixa Geral de Depósitos) pedindo ao doutor António Domingues que faça a transcrição das mensagens escritas que terá trocado com o senhor ministro das Finanças apenas e só a propósito daquilo que a alteração ao estatuto do gestor público exclui, designadamente a questão da entrega das declarações de rendimentos, para que possa ficar claro de uma vez por todas a extensão da mentira do doutor Mário Centeno e para percebermos também o envolvimento do primeiro-ministro em toda esta matéria", disse o deputado do PSD Hugo Soares, em declarações à Lusa.

Recusando o argumento que as mensagens de telemóvel trocadas entre António Domingues e Mário Centeno são particulares, Hugo Soares frisou que essas comunicações fazem parte da negociação que houve para a escolha de uma administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e até para "a alteração de um diploma legal com determinadas consequências".

"É um elemento de prova como outro qualquer, as comissões parlamentares de inquérito têm poderes semelhantes aos dos tribunais judiciais", referiu, explicando que, como "muito provavelmente", Mário Centeno irá tentar "esconder" as mensagens que trocou com o ex-administrador da CGD, o PSD decidiu pedi-las a António Domingues, que tem sido "um colaborador" da comissão de inquérito.

Relativamente ao alegado envolvimento do primeiro-ministro no processo, o deputado do PSD recordou que há "notícias públicas" da altura da alteração do estatuto do gestor público que fazem "eco que o próprio primeiro-ministro terá dado a sua anuência a que isso acontecesse e terá dado a sua anuência ao próprio António Domingues".

"Queremos saber se assim é e se o senhor ministro das Finanças falou com o primeiro-ministro sobre este tema e até que ponto é que o primeiro-ministro está envolvido", sublinhou, insistindo que é necessário saber "a extensão das mentiras" de Mário Centeno e também o envolvimento do primeiro-ministro, "para que esta novela não se arraste mais".

Esta segunda-feira, o ministro das Finanças reiterou que o acordo com Domingues para a liderança da CGD não envolvia a eliminação da entrega das declarações de rendimentos ao Tribunal Constitucional.

"No decurso dos trabalhos da comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos houve afirmações querendo dizer que eu negara a existência de acordo sobre alteração do estatuto do gestor público e a inclusão da eliminação do dever de entrega das declarações ao Tribunal Constitucional. A verdade é que nunca neguei que houvesse acordo, só que não envolvia a eliminação do dever de entrega da declaração de rendimentos, matéria prevista noutro diploma não revogado", afirmou Mário Centeno.

O governante disse ainda que deu conhecimento de todo o processo ao primeiro-ministro, António Costa, a quem recordou que o seu lugar está à disposição: "Reiterei que o meu lugar está à sua disposição desde o dia em que iniciei funções".

Posteriormente, em comunicado, o primeiro-ministro confirmou a confiança em Mário Centeno no exercício das suas funções governativas, após um contacto com o Presidente da República.

Com Lusa

  • "Erro de perceção mútuo" entre Centeno e Domingues
    1:58

    Caso CGD

    No arranque de mais uma semana com o ministro das Finanças debaixo de fogo por causa da CGD, António Costa reafirma total confiança em Mário Centeno. O ministro das Finanças reafirmou esta segunda-feira que nunca mentiu e que nunca houve acordo para isentar os administradores da Caixa Geral de Depósitos, de apresentarem as declarações de rendimentos e património ao Tribunal Constitucional.

  • Ministro das Finanças debaixo de fogo
    1:10

    Caso CGD

    Horas antes das explicações do ministro das Finanças, o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares saiu em defesa de Mário Centeno, numa entrevista ao jornal online Eco. Ao mesmo tempo, o PSD pedia a presença de António Domingues, de novo no Parlamento, para esclarecer se houve ou não um acordo que o dispensasse da entrega de declarações. Os sociais-democratas não acreditam nas palavras do ministro das Finanças.

  • Centeno só ainda está em funções "porque estamos em Portugal"
    0:37

    Opinião

    Luís Marques Mendes não entende a manutenção em funções do ministro das Finanças, no centro da polémica com a CGD. No Jornal da Noite, o comentador da SIC disse ainda que o Executivo tentou que o acordo com António Domingues fosse feito às escondidas: "o Governo manipulou data de publicação deste decreto em Diário da República".

  • Milhares protestam na Catalunha contra Madrid
    1:45

    Mundo

    O Governo de Madrid mostrou-se disposto a dar mais dinheiro e autonomia financeira à Catalunha, se o Governo Regional suspender o referendo independentista. A 10 dias da consulta popular, a tensão é explosiva, com protestos nas ruas, detenções e confrontos com as autoridades.

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • Marcelo Rebelo de Sousa avisou que depois das autárquicas viria um novo ciclo. A lógica levou-nos a assumir que estava a falar do PSD, mas hoje, olhando para a situação política, devemos também incluir nessa previsão a “geringonça” e os seus equilíbrios. Não acredito que as coisas mudem até às legislativas, mas as contas só se fazem depois dos votos das autárquicas. Até lá, o tom de voz das esquerdas vai engrossar.

    Bernardo Ferrão

  • #SICnaCampanha

    Autárquicas 2017

    As caravanas estão na estrada e os repórteres da SIC também. Acompanhe aqui os bastidores das autárquicas.

    Live blog

  • PSD não está a lutar "pela sobrevivência" em Lisboa
    3:29

    Autárquicas 2017

    Mais uma volta de norte a sul do país com a campanha dos líderes políticos para as próximas autárquicas. Ainda não acabou a guerra Bloco de Esquerda-CDU. A secretária-geral adjunta do PS bem se esforça, mas não consegue apoio nas ruas como António Costa. Pedro Passos Coelho voltou a aparecer ao lado de Teresa Leal Coelho, mas não quis comentar prováveis resultados na capital.

  • PCP e PS desvalorizam estudo de economistas com alternativa à do Governo
    1:09

    Orçamento do Estado 2018

    Um grupo de economistas, incluindo o deputado independente eleito pelo PS Paulo Trigo Pereira, publicou um estudo em que defende uma proposta alternativa à apresentada pelo Governo. O PCP e o PS desvalorizaram a opinião dos economistas e o Bloco de Esquerda disse que a consolidação orçamental poderia ser mais lenta. Já o PSD e o CDS aplaudem a proposta e defendem que o estudo apresentado é um aviso ao desnorte do Governo. 

  • Complexo Agroindustrial do Cachão abandonado e exposto à poluição
    2:03
  • Família Portugal Ramos
    15:01

    As Famílias Vintage regressaram esta quinta-feira, com uma viagem ao Alentejo. Foi a partir desta região que João Portugal Ramos conquistou um lugar entre os grandes do setor. Desde há 25 anos a vindimar em seu nome, o enólogo produz seis milhões de litros de vinho por ano.

  • Se pedir ao seu cão para ir buscar uma garrafa de vinho ele vai?
    0:49

    País

    Há 25 anos a vindimar no Alentejo, o enólogo João Portugal Ramos produz seis milhões de litros de vinho por ano. Em Estremoz comprou casa e terra. Iniciou a plantação de vinhas próprias e a construção de uma adega. Um espaço que conhece como as palmas da mão. Ele e um amigo muito especial.

  • Presidente das Filipinas pede que matem o filho se estiver envolvido nas drogas

    Mundo

    O Presidente das Filipinas pediu que matassem o seu filho se as acusações de que traficava droga fossem provadas. Rodrigo Duterte destacou ainda que, caso fosse verdade, iria proteger as autoridades que executassem Paolo Duterte. Em causa está a acusação de que o filho do Presidente filipino faria parte da máfia chinesa, que contrabandeia drogas, vindas da China para dentro do país.

    SIC

  • Morreu a mulher mais rica do mundo

    Mundo

    Liliane Bettencourt, herdeira do grupo de cosméticos L'Oréal e a mulher mais rica do mundo, segundo a revista Forbes, morreu na quarta-feira à noite aos 94 anos, anunciou a família.

  • Deputado do Canadá pede desculpa por chamar "Barbie do Clima" a ministra

    Mundo

    O deputado da província de Saskatchewan, no Canadá, chamou na terça-feira a ministra do Ambiente de "Barbie do Clima". Catherine McKenna não gostou de ser apelidada desta forma e acusou Gerry Ritz de ter um comportamento sexista. Após a crítica, foram precisos apenas 20 minutos para o deputado fazer um pedido de desculpas à ministra.

  • Espanhola tenta provar há sete anos que está viva

    Mundo

    Uma mulher de 53 anos está há sete anos a tentar provar que está viva. Segundo o Estado espanhol, Juana Escudero Lezcano morreu a 13 de maio de 2010, mas na realidade quem morreu foi uma mulher com o mesmo nome e data de nascimento.

    SIC