sicnot

Perfil

Ciberataque mundial

Ciberataque mundial

Ciberataque mundial

Hospitais britânicos alvos de ataque informático

(Arquivo)

© Kacper Pempel / Reuters

Vários organismos do serviço público de saúde britânico (NHS), entre os quais hospitais, foram esta sexta-feira alvo de ataques informáticos, que os obrigaram a cancelar atos médicos, anunciou este organismo.

"Um certo número de organismos informou ter sido afetado por ataques informáticos", adiantou o NHS num comunicado, sublinhando que "o inquérito está no início", mas que deverá tratar-se do vírus Wanna Decryptor.

Este vírus encripta os dados de um computador, para exigir ao seu proprietário um pagamento em troca de um código para resolver o problema.

O NHS informou não ter ainda elementos que lhe permitam pensar que existiu acesso a dados dos doentes, adiantando que o ataque não foi "dirigido especificamente contra" o serviço público de saúde e "afeta outros setores".

Os hospitais pediram aos utentes que apenas se desloquem às unidades de saúde em caso de urgência.A multinacional de serviços tecnológicos Claranet alertou hoje para um ataque informático "de grandes dimensões" em curso à escala internacional.

"Alertamos para o facto de estar em curso um ciber-ataque de grandes dimensões, dirigido principalmente a empresas de comunicações, mas também com outros alvos em vista", refere a informação enviada pela Claranet aos clientes, a que a Lusa teve acesso.

Em Portugal, a Portugal Telecom alertou os clientes de que há um vírus perigoso a circular na Internet e pediu para que tenham cautela na navegação na rede e na abertura de anexos recebidos por correio eletrónico e a EDP decidiu cortar os acessos à Internet da sua rede para prevenir o ataque informático.

A multinacional espanhola de telecomunicações Telefónica foi obrigada a desligar os computadores da sua sede em Madrid, depois de detetar um vírus informático que bloqueou alguns equipamentos.

Lusa

  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.