sicnot

Perfil

Cimeira do Clima

Cimeira do Clima

Cimeira do Clima

Impacto de mais 0,5ºC no planeta muito maior que o que se pensava

Uma diferença na temperatura de 0,5ºC é pouco notória no dia-a-dia, mas entre 1,5ºC e 2ºC na temperatura global do planeta é uma mudança enorme.

Um graffiti de um peixe morto desenhado numa das zonas do reservatório Jaquari, em São Paulo. A seca têm afetado intensamente a região brasileira.

Um graffiti de um peixe morto desenhado numa das zonas do reservatório Jaquari, em São Paulo. A seca têm afetado intensamente a região brasileira.

© STRINGER Brazil / Reuters

Ondas de calor mais prolongadas, maiores secas, menos áreas e produções agrícolas, mais recifes de coral em perigo, são "apenas" algumas das consequências do aumento da temperatura provocada pelas alterações climáticas, revela uma extensa investigação na Alemanha.

O Acordo de Paris contra as alterações climáticas, concluído em dezembro com o consenso de 195 países mais a União Europeia, tem como principal objetivo a manutenção da subida da temperatura média abaixo dos 2ºC. Mas muitos cientistas defendem que deveria ser 1,5ºC em relação à era pré-industrial.

A verdade é que os anos de 2014 e 2015 bateram recordes de temperaturas elevadas, com os primeiros meses de 2016 a registar os valores mais elevados em relação aos mesmos meses de anos anteriores. Em fevereiro, a temperatura global foi 1,34ºC acima da média 1951-1980, segundo dados da NASA.

O principal autor do novo estudo, publicado na revista Earth System Dynamics, Carl Schleussner do Climate Analytics na Alemanha, explicou: "analisámos os modelos usados pelo Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas [da ONU]. Tivémos em conta 11 indicadores desde eventos climáticos extremos, acesso a água, áreas de cultivo, degradação dos corais e aumento do nível do mar. Encontrámos diferenças significativas [entre um aumento de 1,5ºC ou de 2ºC] nos impactos".

Assim, 0,5ºC é a diferença entre um valor limite de calor atual para todo um novo regime climático; uma seca com um aumento de 7% ou de 11%; um aumento do nível do mar em 10 cm no cenário mais quente; água perdida, por exemplo no Mediterrâneo, em 9% com um aumento de temperatura de 1,5ºC ,as de 17%, com um aumento de 2ºC.

  • Fevereiro mais quente desde que há registo
    1:02

    Mundo

    As temperaturas do planeta continuam a bater recordes. O mês de fevereiro foi o mais quente desde que há registo. Os dados foram divulgados pela NASA, e mostram que a temperatura da Terra subiu em média 1,35 graus centígrados. Estes recordes não são novidade, visto que 2015 foi o ano mais quente de sempre. Os ambientalistas garantem que estas temperaturas são um alerta para as alterações climáticas.

  • Tudo isto circula na internet. Nada disto é verdade
    3:12
  • Peso dos salários na economia diminuiu
    2:34

    Economia

    Portugal é dos países onde o peso dos salários na economia mais diminuiu. Ou seja, os salários portugueses foram dos mais encolheram com a crise. A conclusão é da Organização Internacional do Trabalho que sublinha as implicações negativas ao nível social e económico.

  • Inaugurado Ikea de Loulé
    3:51

    Economia

    Centenas de pessoas aguardavam à porta do Ikea de Loulé para a inauguração da nova loja no Algarve, uma semana depois do acidente que matou uma trabalhadora. A cerimónia decorreu de forma sóbria, ainda que com alguma pompa e circunstância.

  • Descoberta nova espécie de tiranossauro

    Mundo

    Uma nova espécie de dinossauros predadores, um tiranossauro com uma forma incomum de evolução, foi descoberta por uma equipa internacional de cientistas, segundo um artigo científico hoje publicado pela revista Nature.