sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Dezenas de petições contra acolhimento de refugiados em Portugal

A vontade de Portugal acolher refugiados, na sequência do processo de recolocação por todos os Estados membros da União Europeia, está a gerar movimentos de contestação, com várias petições a reunirem milhares de assinaturas.

© Kai Pfaffenbach / Reuters

Portugal vai receber 3.074 refugiados, no âmbito do processo de recolocação de mais de 120 mil pessoas por todos os Estados-membros, os primeiros dos quais poderão começar a chegar já a partir de outubro.

No site Petição Pública, um serviço gratuito de petições online, é possível encontrar dezenas de petições contra a vinda de refugiados para Portugal e há três petições que, juntas, reúnem quase 30 mil pessoas.

"Não aos refugiados em Portugal" é a petição que reúne mais assinaturas, contando já com o apoio de 14.175 pessoas, apesar de não ser possível perceber se são apoios reais ou virtuais.

No texto que justifica a petição pode ler-se: "Portugal precisa de ajuda, com nível alto de desemprego, com imensa taxa emigratória e sem condições para apoiar refugiados. Não queremos pagar dos nossos bolsos para que os refugiados estejam cá. Basta!".

A acompanhar há também centenas de comentários, entre pessoas que defendem que se deve antes ajudar os pobres portugueses ou as crianças, já que "dentro dessa gente toda, vêm terroristas".

Há inclusivamente quem defenda que, se os refugiados chegarem, daqui por uns anos o país vai assistir a "pessoas a explodir em plena Lisboa".

Uma outra petição, que dá pelo nome de "Pelo fim imediato da entrada de refugiados em Portugal", tem já 13.708 assinaturas e um grupo na rede social Facebook com 447 membros.

Os peticionários assumem que o objetivo é levar a petição até à Assembleia da República e justificam que "não é justo", perante os vários portugueses "que vivem miseravelmente", que os refugiados venham a ter "benesses" como subsídio de integração, habitação mobilada e equipada ou consumo de eletricidade, água, gás e telecomunicações gratuitos.

E se há, entre os vários comentários escritos, quem defenda e diga, por exemplo, "quem os quiser acolher, que os ponha em sua casa", também há quem responda: "Então fazemos assim: por cada sem-abrigo ou pobre que [for] para a sua casa eu fico com um refugiado na minha, pode ser???".

Uma terceira petição, de nome "Não queremos refugiados em Portugal", reúne bastante menos assinaturas do que as duas primeiras, ficando-se pelas 1.172.

A pessoa que a criou diz ser mãe e temer pelo futuro dos filhos, apesar de admitir ter chorado quando viu a imagem da criança que morreu afogada e cujo corpo deu à costa na Turquia.

Lusa

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Greve na Função Pública vai afetar escolas, saúde e cultura

    País

    A greve nacional convocada para sexta-feira pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSTFPS) deverá afetar as escolas, a área da saúde e ainda da cultura, entre outros serviços, afirmou esta quarta-feira a dirigente sindical, Ana Avoila.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.