sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Sérvia envia protesto à Hungria após incidentes com migrantes na fronteira comum

A Sérvia enviou hoje um protesto oficial à Hungria sobre o "uso de gás lacrimogéneo" no seu território e anunciou o envio de mais forças policiais para a fronteira após os confrontos entre migrantes e a polícia húngara.

© Stringer . / Reuters

"Decidi enviar forças policiais adicionais" para o posto fronteiriço de Horgos para evitar novos confrontos entre os migrantes e a polícia húngara, disse o ministro do Interior da Sérvia, Nebojsa Stefanovic.

A polícia húngara disparou gás lacrimogéneo em direção a dezenas de migrantes que conseguiram cruzar as suas linhas na fronteira com a Sérvia para tentar alcançar a Hungria através do posto de Horgos-Roszke.

O Governo húngaro disse que 14 polícias ficaram feridos nos confrontos e decidiu enviar para o local três veículos militares do tipo Humvee, que ficaram estacionados a cerca de 100 metros da fronteira, perto da passagem de Roszke.

De acordo com a agência noticiosa AFP, a calma regressou entretanto ao local, enquanto a polícia húngara anunciava em comunicado que a situação "está sob controlo".

Por seu turno, a televisão estatal sérvia RTS referiu que diversos migrantes também ficaram feridos, enquanto membros da sua equipa de reportagem foram espancados e o seu equipamento destruído pela polícia húngara.

O ministro sérvio para os Refugiados, Aleksandar Vulin, considerou "inaceitável" que a Hungria utilizasse canhões de água e gás lacrimogéneo contra os migrantes.

"Devo protestar firmemente porque foram utilizados canhões de água e gás lacrimogéneo contra estas pessoas e porque isso foi feito no nosso território", precisou.

Lusa

  • Refugiados tentam entrar na Europa pela Croácia
    2:32

    Crise Migratória na Europa

    É um ambiente explosivo, o que se vive na fronteira da Sérvia com a Hungria. A tensão crescente deu hoje origem a protestos que resultaram numa batalha campal, com a polícia a responder com canhões de água e gás lacrimogéneo. Muitos refugiados tentam agora outras entradas na Europa e uma das opções é pela Croácia, por um território que ainda não foi totalmente desminado, depois da guerra dos balcãs.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14