sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

"Portugal tem condições para acolher 4.500 refugiados"

O ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, disse hoje que Portugal tem condições para acolher 4.500 refugiados, lembrando que o país tem recebido 35 mil imigrantes por ano.

MIGUEL A. LOPES

Em entrevista à TSF e à Antena 1, Miguel Poiares Maduro, responsável no Governo português pela coordenação do processo de acolhimento dos refugiados, disse que o número "não é problemático".

"Portugal tem condições para acolher 4.500 refugiados. Portugal já disse que aceitava a última proposta da Comissão Europeia", salientou.

Na entrevista, Poiares Maduro relativizou o número e lembrou que o país tem recebido cerca de 35 mil imigrantes por ano.

Questionado sobre o Conselho Europeu de hoje, para debater a crise dos migrante, Poiares Maduro afirmou que as decisões ali a tomar deverão ir além de uma mera redistribuição de refugiados no espaço europeu.

"É muito importante que não se preocupem apenas com os problemas de curto prazo. Devem preocupar-se também com questões mais abrangentes, mesmo sabendo que os problemas atuais não são fáceis de resolver", considerou.

Na terça-feira, o Ministério da Administração Interna (MAI) revelou que Portugal vai acolher "até 4.500" refugiados que estão em Itália e na Grécia.

"Foi hoje [terça-feira] aprovada, em Bruxelas, no Conselho de Justiça e Assuntos Internos (JAI) Extraordinário, uma decisão do Conselho Europeu que estabelece medidas adicionais no domínio da proteção internacional a favor de Itália e da Grécia.

Portugal, que votou favoravelmente a proposta de decisão, acolherá, ao longo dos próximos dois anos, "até 4.500 beneficiários de proteção internacional", indicou terça-feira o MAI, em comunicado.

O ministério dirigido por Anabela Rodrigues recordou que o Conselho Europeu "aprovou a proposta de recolocação de emergência para mais 120 mil requerentes de asilo, a que acrescem os 40 mil abrangidos pela decisão adotada no Conselho JAI Extraordinário do passado dia 14 de setembro".

Quando questionada sobre o número de refugiados que Portugal receberá à luz da decisão, a ministra Anabela Rodrigues referiu não haver "praticamente alteração em relação aquilo que tinha sido discutido no último conselho [de ministros português]", pelo que o país receberá cerca de três mil pessoas em relação aos 120 mil refugiados e, no total, "cerca de 4.500/5.000".

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia reúnem-se hoje em Bruxelas numa cimeira extraordinária para debater soluções para a maior crise migratória registada na Europa desde a II Guerra Mundial.

Antes da cimeira de emergência, a chanceler alemã, Angela Merkel, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, participam, pelas 13:00 locais (12:00 em Lisboa), numa reunião do grupo do Partido Popular Europeu (PPE, direita) no Parlamento Europeu.

Lusa

  • Rússia vence Egito e fica muito perto dos oitavos

    Mundial 2018 / Rússia

    A anfitriã Rússia venceu esta terça-feira o Egito por 3-1, em jogo da 2.ª jornada do grupo A. A seleção russa ficou assim muito perto de garantir o apuramento para os oitavos de final e deixou o Egito quase fora da fase seguinte.

  • O abraço de Marcelo à mascote do Mundial
    0:12
  • Português que saiu de bicicleta de Alenquer já chegou à Rússia
    2:26
  • Senegal surpreende e vence a Polónia por 2-1

    Mundial 2018 / Polónia

    O Senegal venceu hoje a Polónia por 2-1 num jogo a contar para o grupo H do Mundial da Rússia. Na primeira parte, os "leões de Teranga" beneficiaram de um golo na própria baliza marcado por Thiago Cionek aos 37 minutos. A vantagem no marcador veio trazer estabilidade ao Senegal que conseguiu firmar a superioridade com um golo de M´Baye Niang aos 60 minutos. Perto do final do jogo, o polaco Grzeg Krychowiak marcou na baliza de Khadim N'Diaye, mas foi insuficiente para derrotar o Senegal.

  • Japão ganha nova esperança ao derrotar a Colômbia (2-1)

    Mundial 2018 / Colômbia

    No primeiro jogo do grupo H, a Colômbia foi derrotada pelo Japão. Um dos momentos altos do jogo aconteceu logo ao minuto 4 quando, na sequência de uma falta de Carlos Sanchez, o árbitro assinalou um penálti a favor da equipa japonesa. O colombiano levou um cartão vermelho, depois de ter intercetado um remate do Japão com a mão. Apesar da desvantagem numérica, a Colômbia iguala o marcador aos 39 minutos com um livre de Quintero. Contudo, Yuya Osako colocou o Japão novamente em vantagem aos 73 min.

  • Achilles, o gato que adivinha os resultados do Mundial
    0:44

    Desporto

    Depois do polvo Paul no Mundial de 2010 e do elefante Zella no Europeu de 2016, este ano, o gato Achilles é o adivinho dos jogos do Mundial na Rússia. O felino acertou na vitória da Rússia frente à Arábia Saudita e já fez a aposta para a partida entre os russos e o Egipto, que decorre esta terça-feira, a partir das 19:00.

  • Hospitais públicos à beira da rutura
    2:28
  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • OMS inclui dependência dos videojogos na lista de doenças mentais

    Mundo

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu a dependência de videojogos na lista de doenças mentais, uma possibilidade que tinha sido prevista no início do ano e que foi anunciada esta segunda-feira. Este pode ser mais um argumento para os pais limitarem o tempo de acesso dos filhos às consolas, computadores e todos os dispositivos com videojogos.

    SIC

  • "Estou a ser posta porta fora (...) faço o que vocês me disserem"
    2:43
  • Morreu o orangotango mais velho do mundo

    Mundo

    O orangotango mais velho do mundo morreu aos 62 anos no jardim zoológico de Perth, no norte da Austrália, deixando 54 descendentes, anunciou esta terça-feira a instituição.

  • Milionários aumentam... e as suas fortunas também

    Mundo

    O número de milionários mundiais cresceu em 2017 e o seu nível de riqueza aumentou pelo sexto ano consecutivo, ultrapassando pela primeira vez os 70 biliões de dólares (60,5 biliões de euros), segundo um estudo divulgado esta terça-feira.