sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Mais de 613 mil chegaram à Europa em 2015 via Mediterrâneo

Mais de 613.000 migrantes chegaram à Europa atravessando o Mediterrâneo em 2015 e mais de 3.100 morreram ou estão desaparecidos, anunciou hoje a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

© Fotis Plegas G / Reuters

Do total de 613.000, perto de 473.000 migrantes chegaram à Grécia e cerca de 137.000 outros alcançaram Itália, adiantou a organização.

Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), a maioria dos que chegaram são sírios, que representam 69% dos que atingem a Grécia.

Adrian Edwards, porta-voz do ACNUR, indicou que o mês de outubro tem sido mais calmo que o de setembro, exceto nos últimos dois dias. Na quarta-feira, 85 embarcações chegaram à ilha grega de Lesbos, ponto de entrada Europa para uma grande parte dos migrantes que partem da Turquia.

"O aumento nas chegadas poderá ser o resultado de uma melhoria temporária do tempo, de uma tentativa para evitar o inverno e do medo das fronteiras europeias poderem encerrar em breve", explicou Edwards num encontro com a imprensa em Genebra.

O porta-voz disse existirem atualmente "cerca de 3.500 a 4.000 migrantes no lado norte da ilha" e que as transferências de autocarro para os centros de acolhimento foram interrompidas devido à superlotação destes.

O aumento nas chegadas agrava uma situação já caótica na ilha de Lesbos e, segundo Edwards, na quinta-feira, "o pessoal do ACNUR teve de ser retirado por algum tempo de um centro de registo devido à ocorrência de violência".

Lusa

  • Governo lança linha de crédito de 100 M€ para empresas situadas no interior

    País

    As políticas de valorização do interior, tema escolhido pelo primeiro-ministro, António Costa, abriram o debate quinzenal na Assembleia da República. O primeiro-ministro anunciou que o Governo vai lançar uma linha de crédito de 100 milhões de euros destinada exclusivamente a pequenas e microempresas empresas situadas no interior, a par da reprogramação do Portugal 20/20.

    Direto

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.