sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Presidente polaco tem medo que refugiados sejam portadores de doenças

O Presidente conservador da Polónia, Andrzej Duda, receia que os migrantes possam ser portadores de epidemias, sublinhando que o governo "deve proteger os polacos".

"Se o governo está de acordo em relação ao acolhimento dos migrantes deve dizer se está disposto a fazer face a todas as circunstâncias, ou seja: se os polacos estão bem protegidos contra os riscos epidemiológicos", afirmou o chefe de Estado polaco. (Arquivo)

"Se o governo está de acordo em relação ao acolhimento dos migrantes deve dizer se está disposto a fazer face a todas as circunstâncias, ou seja: se os polacos estão bem protegidos contra os riscos epidemiológicos", afirmou o chefe de Estado polaco. (Arquivo)

© Ints Kalnins / Reuters

"Se o governo está de acordo em relação ao acolhimento dos migrantes deve dizer se está disposto a fazer face a todas as circunstâncias, ou seja: se os polacos estão bem protegidos contra os riscos epidemiológicos", afirmou hoje o chefe de Estado à estação de televisão polaca TVN24.

"A segurança dos cidadãos é a questão mais importante", disse Duda referindo-se "à segurança material, física e sanitária".

Na semana passada, Jaroslaw Kaczynski o líder do partido conservador e populista Direito e Justiça, de que faz parte o presidente Duda, falou de preocupações semelhantes.

Kaczynski referiu-se à epidemia de "cólera nas ilhas gregas" e "à disenteria em Viena", tendo sublinhado que os "migrantes podem vir a ser portadores de todo o tipo de parasitas".

"Entre eles (refugiados) os parasitas podem não ser perigosos, mas podem vir a ser perigosos para as populações locais", afirmou o dirigente do Partido do Direito e da Justiça.

As declarações de Kaczynski foram feitas junto a um centro de refugiados onde também exigiu que o Executivo centrista de Ewa Kopacz deve dizer como pretende "defender os polacos".

As declarações provocaram fortes críticas na imprensa e junto dos políticos polacos, que recusaram a "linguagem de ódio própria da propaganda nazi que acusava os judeus de serem portadores de tifo".

Apesar das reticências em relação ao acolhimento de refugiados - a maior parte refugiados sírios vítimas da guerra civil - a Polónia acabou por aceitar receber cinco mil das 120 mil pessoas que vão ser repartidas pelos 28 Estados membros da União Europeia.

A oposição, do partido de Jaroslaw Kaczynski, disse que a decisão do Executivo foi tomada "sem o consentimento dos polacos".

Lusa

  • Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já têm cadastro
    1:59

    Crise no Sporting

    Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já foram condenados por 22 crimes que cometeram no passado, mas nunca nenhum deles cumpriu pena de prisão ou prisão domiciliária. O juiz decretou a prisão preventiva na sequência das agressões à equipa do Sporting por entender que se tratou de um comportamento chocante, terrorista e a perversão do espírito desportivo.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • Abate de animais nos canis proibido a partir de setembro
    1:35

    País

    O abate de animais nos canis passa a ser proibido a partir de setembro. Só em 2017, foram mortos cerca de 12 mil cães e gatos, uma média de um abate por hora. O Governo lançou um programa de incentivos financeiros de um milhão de euros, que ainda está a decorrer.

  • Cabazes solidários oferecidos pelo Governo encontrados no lixo
    0:57
  • Colheita da cereja já arrancou no Fundão
    1:54

    País

    A colheita das primeiras cerejas da época já começou no Fundão. A campanha atrasou um mês em relação a anos anteriores, por causa do inverno que se prolongou, mas os produtores garantem que o fruto é de qualidade.