sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Mulheres e crianças refugiadas estão a ser alvo de abusos sexuais, denuncia a ONU

O Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR) denunciou hoje que mulheres e crianças refugiadas estão a ser vítimas de abusos sexuais durante a travessia para os países do norte da Europa.

© Antonio Bronic / Reuters

Segundo a agência das Nações Unidas, as denúncias que tem recebido indicam que estes crimes estão a ser cometidos por elementos de redes de tráfico de seres humanos.

"Temos ouvido relatos horríveis de crianças forçadas a ter relações sexuais com traficantes em troca do pagamento da sua viagem", disse a porta-voz do ACNUR, Melissa Fleming.

A representante referiu que, neste momento, não se sabe a real dimensão deste problema, mas "as denúncias são suficientemente significativas para tornar pública" esta situação.

Melissa Fleming explicou que há "um grande número" de menores que viajam sozinhos nas atuais rotas migratórias, e sem a supervisão de um adulto podem tornar-se em "presas fáceis" para os criminosos.

A porta-voz acrescentou que o ACNUR tem recebido denúncias de todos os países de trânsito (países atravessados pelos migrantes que desejam chegar às principais economias da União Europeia (UE), como é o caso da Alemanha), destacando ainda que os relatos revelam que "os culpados são os traficantes e as redes criminosas".

A representante também indicou que existem casos de violações e de abusos nos centros de acolhimento de migrantes. Nestes casos, os suspeitos são outros refugiados ou migrantes.

O ACNUR e um conjunto de organizações não-governamentais vão avançar em breve com uma investigação exaustiva sobre estas denúncias.

Lusa

  • A homenagem a Mário Soares no congresso do PS
    2:30
  • Costa defende legalização da eutanásia como forma de "alargar a liberdade"
    0:42
  • Duquesa de Sussex já tem brasão

    Harry & Meghan

    O Palácio de Kensington apresentou esta sexta-feira o brasão da Duquesa de Sussex, Meghan Markle. O brasão foi criado pelo College of Arms mas teve a ajuda da duquesa para que este fosse "pessoal e representativo".

    SIC