sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Merkel diz que Alemanha acolherá um milhão de refugiados em 2015

A chanceler alemã, Angela Merkel, corrigiu hoje o prognóstico do número de refugiados que receberá no seu país este ano, estimando que atingirão um milhão, em vez dos 800.000 previstos até agora, noticia hoje o jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung.

Migrantes atravessam a fronteira entre a Áustria e a Alemanha.

Migrantes atravessam a fronteira entre a Áustria e a Alemanha.

© Michaela Rehle / Reuters

Segundo o jornal, Angela Merkel fez esta previsão no domingo passado na míni-cimeira entre a União Europeia e os Balcãs sobre a crise dos refugiados, onde estavam representantes de 13 membros da UE e dos países balcânicos.

O jornal adianta que a chanceler alemã chegou a afirmar aos seus parceiros que se não conseguirem conter os fluxos migratórios devem fechar-se as fronteiras.

Angela Merkel abriu no sábado uma ronda de negociações entre os parceiros da grande coligação - União Cristã Democrata (CDU), União Social Cristã da Baviera (CSU) e o Partido Social Democrata (SPD) -- para tentar encontrar soluções que permitam um fluxo ordenado das 7.000 a 10.000 pessoas que diariamente chegam à Alemanha através da Áustria.

Após as negociações com os parceiros, que decorreram em separado, seguiu-se um encontro com o líder da CSU, Horst Seehofer, que, nos últimos dias, fez um ultimato à chanceler para conter a chegada de requerentes de asilo.

Merkel, Seehofer e o líder do SPD, Sigmar Gabriel, abriram hoje uma nova ronda de negociações, já a nível de chefes de partido, para acordar soluções para lidar com as brechas surgidas na coligação.

A CSU da Baviera exige a implementação de zonas de trânsito na fronteira para avaliar os pedidos de asilo de quem pretende entrar no país.

O SPD rejeita essa possibilidade, porque considera que isso implicaria a criação de enormes prisões, onde ficariam detidos os que chegam à Alemanha à procura de asilo.

"Não podemos aceitar a criação de zonas de trânsito, na realidade centros de detenção com dimensões de estádios de futebol", disse o líder dos sociais-democratas alemães e vice-chanceler do executivo germânico, Sigmar Gabriel, após a reunião com o seu partido, no sábado.

O SPD apresenta como alternativa estabelecer centros de registo de refugiados espalhados por todo o país, onde seriam coordenados os processos de avaliação.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.