sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

UE registou 800 mil "entradas ilegais" em 2015

Este ano registaram-se 800 mil "entradas ilegais" de migrantes na União Europeia, disse o diretor executivo da Frontex, a agência de controlo de fronteiras europeia, numa entrevista ao jornal alemão Bild, hoje publicada.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Scanpix Sweden / Reuters

Alertando que o fluxo de migrantes provavelmente ainda não "atingiu o seu pico", Fabrice Leggeri apelou aos países europeus que travem os migrantes a quem foi negado asilo, para que possam "rapidamente" ser enviados de volta aos seus países de origem.

"Os Estados-membros da União Europeia têm de se preparar para o facto de ainda termos de enfrentar uma situação muito difícil nos próximos meses", acrescentou Leggeri.

No mês passado, a Frontex avançou que 710.000 migrantes tinham entrado na União Europeia nos primeiros nove meses do ano, mas alertou para o facto de muitas pessoas terem sido contabilizadas duas vezes.

A 13 de outubro, a agência disse que "a passagem irregular das fronteiras pode ser tentada pela mesma pessoa várias vezes".

"Isto significa que um grande número de pessoas que foram contadas quando chegaram à Grécia foram novamente contabilizadas quando entraram na União Europeia pela segunda vez, através da Hungria ou da Croácia", explicou a agência.

De acordo com os dados mais recentes da agência para os refugiados da ONU, mais de 744.000 cruzaram o Mediterrâneo este ano, a maioria em direção à Grécia.

Hoje, o primeiro grupo de 30 migrantes partiu de Atenas para Luxemburgo, ao abrigo do plano europeu para redistribuir as pessoas pelos 28 Estados membros, de modo a aliviar a pressão em países como a Grécia e a Itália.

Lusa

  • Madrid suspende governo regional da Catalunha

    Mundo

    O chefe do Governo espanhol anunciou hoje que decidiu acionar o artigo 155º da Constituição espanhola e pedir ao Senado a suspensão das funções do governo regional da Catalunha. Em conferência de imprensa justificou a adoção das medidas dada a "desobediência rebelde, sistemática e consciente" do Governo regional (Generalitat).

    Em atualização

  • Manifestações contra os incêndios um pouco por todo o país
    1:33

    País

    Estão marcadas para esta tarde várias manifestações contra os incêndios e as políticas florestais, mas também de homenagem às vítimas dos fogos que arrasaram o país. As iniciativas de protesto são quase todas organizadas através das redes sociais e por grupos de cidadãos.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.