sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Alemanha reduz direito de asilo para refugiados sírios

A Alemanha recuou na sua política de asilo aos sírios, o maior grupo de refugiados, eliminando mesmo o direito a que as famílias se lhes juntem no país, noticiou esta sexta-feira um diário alemão.

As novas medidas implicam que só será concedido aos refugiados sírios um visto de residência de um ano e que já não podem reclamar o direito de reunião com as suas famílias na Alemanha. (Arquivo)

As novas medidas implicam que só será concedido aos refugiados sírios um visto de residência de um ano e que já não podem reclamar o direito de reunião com as suas famílias na Alemanha. (Arquivo)

© Alkis Konstantinidis / Reuters

À medida que se prepara para a chegada de cerca de um milhão de requerentes de asilo este ano, a maior economia da Europa reduziu o nível de proteção legal para os sírios, segundo o Frankfurter Allgemeine Zeitung.

As novas medidas implicam que só será concedido aos refugiados sírios um visto de residência de um ano e que já não podem reclamar o direito de reunião com as suas famílias na Alemanha.

"O Departamento Federal para Migração e Refugiados recebeu ordens para dar apenas proteção secundária a refugiados da guerra civil da Síria", de acordo com um comunicado do ministério do Interior, citado pelo jornal.

O ministério não se mostrou disponível para comentar.

A Alemanha tem mantido, até agora, uma política de porta aberta para os sírios que fogem à guerra no seu país, concedendo-lhes "proteção primária" -- o mais alto estatuto para os refugiados, que inclui, entre outros benefícios, um visto de residência de três anos e reunificação familiar.

Perante os conflitos internos no seu Governo de "grande coligação" esquerda-direita, a chanceler Angela Merkel, realizou na quinta-feira conversações de crise com os líderes partidários, nas quais estes acordaram uma série de medidas para trazer mais ordem ao afluxo recorde de migrantes.

Entre as medidas anunciadas numa conferência de imprensa conjunta, estão planos para acelerar os repatriamentos de requerentes de asilo rejeitados a partir de novos polos centrais.

Merkel e os seus parceiros de coligação não falaram de uma mudança de política para os sírios em particular.

O Frankfurter Allgemeine Zeitung cita números oficiais que mostram que a Alemanha recebeu 55.600 pedidos de asilo de cidadãos sírios em agosto. Mais de 38.600 foram aceites, com apenas 53 a receberem "proteção secundária".

Esta categoria menor equivalia até agora a uma zona legal cinzenta para pessoas cujo estatuto como refugiados ou requerentes de asilo não tivesse ainda sido reconhecido.

Lusa

  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.