sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Governo grego promete abrir cinco centros de registo de refugiados

O Governo grego reafirmou hoje a sua intenção de abrir na segunda-feira os centros de registo de refugiados e migrantes em cinco ilhas do mar Egeu, apesar dos protestos de parte da população contra estas novas instalações.

Alguns refugiados ficam a dormir no Aeroporto Internacional de Atenas, na Grécia.

Alguns refugiados ficam a dormir no Aeroporto Internacional de Atenas, na Grécia.

© Michalis Karagiannis / Reuter

"Aconteça o que acontecer, a partir de 15 de fevereiro vão estar prontos os centros de registo e recolocação", assegurou hoje o ministro da Defesa, Panos Kamenos, após uma reunião com responsáveis municipais de Sindos e Sidirokastro (norte).

Perante as pressões da Comissão Europeia (CE), que se referiu a "graves deficiências" no controlo das fronteiras externas por parte da Grécia, o Governo comprometeu-se a acelerar a abertura destes centros também designados "hot spots" (pontos quentes), que deveriam ter ficado concluídos em novembro.

Na semana passada, o Executivo anunciou que o ministério da Defesa se envolveria na construção dos recintos para acelerar a sua abertura.

Esta decisão motivou protestos de parte dos habitantes da ilha de Kos, que no fim de semana se envolveram numa refrega com a polícia após uma manifestação contra a construção do acampamento.

Devido à sua situação geográfica, muito perto das costas da Turquia, Kos é uma das principais portas de entrada para refugiados e migrantes que se dirigem para a União Europeia (UE).

Em entrevista ao diário Real News, Kamenos -- líder do partido da direita soberanista Gregos Independentes (Anel) que integra a coligação dirigida pelo partido da esquerda radical Syriza -- assegurou que por detrás destes protestos existe o interesse de alguns ilhéus em fazer negócio a partir das necessidades dos refugiados.

Já em declarações à cadeia televisiva privada Skai, o presidente da câmara de Kos, Yorgos Kyritsis (eleito pelos socialistas do Pasok, na oposição), pediu hoje ao Governo grego que cancele os seus planos e retire a polícia de intervenção, enviada para controlar os protestos.

Kyritsis argumentou que um centro de acolhimento poderá funcionar como uma "atração" para os traficantes e provocar o aumento das chegadas, como sucedeu em Lesbos, onde está em funcionamento o único centro de registo e acolhimento.

O responsável de Kos referiu em cartas previamente enviadas ao Governo e à oposição que o seu município, de 17.000 habitantes, poderia disponibilizar entre 4.000 e 7.000 metros quadrados, mas exigiu mais efetivos policiais, meios económicos, ajuda sanitária e um compromisso de que os registados abandonem a ilha num prazo de 24 horas.

O Governo, com estas novas instalações, pretende que se inicie a distinção entre refugiados e migrantes irregulares, que no último caso deverão ser enviados para centros de detenção fechados antes da sua eventual deportação.

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.

  • O edifício mais longo do mundo

    Mundo

    Se pensa que já viu tudo em relação aos edifícios mais longos e complexos do mundo, pense duas vezes. O edifício mais longo do mundo pode estar prestes a chegar e promete fazer de Nova Iorque uma cidade ainda mais atrativa.