sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Três grandes orquestras de Berlim dão concerto grátis para refugiados

Três dos mais conhecidos maestros do mundo, Simon Rattle, Daniel Barenboim e Ivan Fischer, anunciaram hoje que vão dirigir as três grandes orquestras de Berlim num concerto gratuito para refugiados a 1 de março, na capital alemã.

Simon Rattle vai dirigir a Filarmónica de Berlim num concerto especial na Philarmonic Hall de Berlim.

Simon Rattle vai dirigir a Filarmónica de Berlim num concerto especial na Philarmonic Hall de Berlim.

© Kai Pfaffenbach / Reuters

Os três maestros vão dirigir cada um a respetiva orquestra - Rattle a Filarmónica de Berlim, Barenboim a Staatskapelle Berlin e Fischer a Konzerthaus Orchestra - num concerto especial na Philarmonic Hall de Berlim, informaram em comunicado.

O concerto, em que vão ser tocadas obras de Mozart, Prokofiev e Beethoven, será gratuito para refugiados e voluntários que trabalhem no apoio aos refugiados e migrantes, precisaram.

"Com este concerto, as três orquestras e seus maestros querem dar as boas vindas às pessoas que fugiram dos seus países e agradecer aos muitos voluntários pelo seu trabalho e empenho", lê-se no texto.

"A música é uma linguagem universal que pode chegar e tocar a vida de pessoas em toda a parte", afirmam os maestros.

"Como músicos, sentimo-nos bem recebidos em todo o mundo. Esperamos que isso possa também ser verdade para as pessoas que foram obrigadas a fugir dos seus lares devido à guerra, à fome ou à perseguição".

O maestro e pianista israelo-argentino Daniel Barenboim, 73 anos, vai simultaneamente dirigir a orquestra e atuar como solista no concerto para piano de Mozart KV466.

O maestro húngaro Ivan Fischer, 65, dirigirá a Konzerthaus Orchestra na Sinfonia n.º 1, ou "Clássica", de Prokofiev.

E o maestro britânico Simon Rattle, 61, vai dirigir a Filarmónica de Berlim dois andamentos da Sinfonia n.º 7 de Beethoven.

Mais de um milhão de refugiados chegou à Alemanha em 2015, a maioria proveniente da Síria, em guerra há quase cinco anos.

Lusa

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.