sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Fim de Schengen custará 470 mil M€ euros em 10 anos à UE

O fim do espaço de livre-circulação europeia de Schengen custará pelo menos 470 mil milhões de euros em dez anos aos países da UE, indica um estudo alemão hoje publicado.

A reinstalação de controlos de fronteiras na Europa, um cenário cada vez mais provável devido à crise dos refugiados, ia traduzir-se por "aumentos maciços de custos e preços", de acordo com o estudo do Instituto Prognos, encomendado pela Fundação Bertelsmann.

Estes custos teriam repercussões fora da Europa, devido a um aumento dos preços das importações. O estudo indica que o fim de Schengen iria custar 91 mil milhões de euros em dez anos aos Estados Unidos e 95 mil milhões à China.

Os controlos de fronteiras iam traduzir-se por custos de pessoal mais elevados para as empresas e também em custos de armazenamento, por não ser possível garantir entregas de última hora, indicou o instituto.

Num cenário otimista, os custos de produção na UE aumentariam 1%, representando um custo acumulado de 470 mil milhões de euros sobre o Produto Interno Bruto (PIB) da UE em dez anos (2016-2025). Para a Alemanha, a fatura seria de 77 mil milhões de euros, e para a França de 80 mil milhões.

O PIB anual da UE ronda os 15 biliões.

Num cenário pessimista, em que os custos de produção aumentassem, em média, 3% teria um custo para a UE de 1,4 biliões de euros, dos quais 235 mil milhões para a Alemanha e 244 mil milhões para a França.

"Se as fronteiras forem reinstaladas, o crescimento já fraco da Europa vai ficar sob maior pressão", comentou Aart De Geus, presidente da Fundação Bertelsmann. "No fim, são os cidadãos que vão pagar esta fatura", afirmou.

Lusa

  • Constitucional chumba algumas normas da lei de barrigas de aluguer

    País

    O Tribunal Constitucional chumbou algumas normas do acórdão sobre as barrigas de aluguer. De acordo com o Expresso, a decisão já foi comunicada à Assembleia da República. A obrigatoriedade da regulamentação da lei ser feita pelo Parlamento e não pelo Governo terá sido unânime.

  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • A história do bebé que continua a lutar pela vida depois do tribunal ter desligado as máquinas

    Mundo

    Alfie Evans sofre de uma doença cerebral degenerativa. A sua condição levou o caso à justiça e, depois de uma batalha judicial entre os pais e o hospital, os juízes determinaram que as máquinas do suporte artificial de vida fossem desligadas. Apesar de os aparelhos terem sido desligados na segunda-feira à noite, segundo os pais, a criança de 23 meses continua a lutar pela vida, respirando sozinha.

    SIC

  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17
  • O recado de Donald Trump à Coreia do Norte 

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, exortou Pyongyang a eliminar todo o seu arsenal nuclear, precisando o que queria dizer exatamente ao apelar para a "desnuclearização" do regime totalitário, antes de uma aguardada cimeira com o líder norte-coreano.

  • Pato em excesso de velocidade faz disparar radar numa estrada suíça
    1:31