sicnot

Perfil

Crise Migratória na Europa

Grécia recusa tornar-se "Líbano da Europa" com milhões de refugiados

Grécia recusa tornar-se "Líbano da Europa" com milhões de refugiados

A União Europeia volta a tentar encontrar uma solução para a crise de refugiados. Os ministros dos Assuntos Internos da reúnem-se hoje, em Bruxelas, com os homólogos dos Balcãs.A Grécia já avisou que não vai permitir que os outros fechem as fronteiras, ficando sozinha perante a maior migração das últimas décadas.

A Grécia recusou hoje tornar-se o "Líbano da Europa" e ficar no seu território com milhões de migrantes e refugiados, em declarações proferidas em Bruxelas pelo ministro das Migrações grego.

Falando antes de uma reunião de ministros europeus da Justiça e do Interior, Yannis Mouzalas criticou o que chamou de "ações unilaterais" tomadas por outros países da União Europeia que afetam o seu país.

"Um grande número [de países] aqui reunido tentará discutir como lidar com uma crise humanitária na Grécia que eles próprios tencionam criar", afirmou aos jornalistas.

O governante reforçou que "a Grécia não aceitará ações unilaterais" e que também as pode tomar.

"A Grécia não aceitará tornar-se o Líbano da Europa, um armazém de pessoas, mesmo com fundos europeus", declarou.

Quatro milhões de pessoas fugiram da guerra civil na Síria para os países vizinhos, segundo as Nações Unidas, que contabiliza um milhão de refugiados no Líbano.

A Grécia é o principal ponto de entrada de migrantes na União Europeia, a maior parte deles atravessando o Mar Egeu para chegar às ilhas gregas.

Atenas tem sido atacada por alegadamente deixar passar os migrantes para o resto da Europa, mas criticou a resposta dos parceiros europeus à crise.

Yannis Mouzalas criticou particularmente os países dos Balcãs, que na quarta-feira acordaram uma série de medidas de controlo de fronteiras que afetam a Grécia.

Com Lusa

  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.