sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Merkel admite que Alemanha beneficia com fecho de fronteiras nos Balcãs

A chanceler alemã, Angela Merkel, admitiu hoje que a Alemanha beneficia da decisão de países dos Balcãs de fecharem as fronteiras aos migrantes, mas insistiu que não é "uma solução sustentável" para a crise migratória na Europa.

© Stefanie Loos / Reuters

"É incontestável que a Alemanha beneficia [do encerramento da rota], mas vemos pelas imagens que chegam da Grécia que não é uma solução sustentável", disse Merkel à imprensa.

A Alemanha, que no último ano recebeu milhares de pedidos de asilo por dia, registou um decréscimo significativo de entradas desde os encerramentos de fronteiras nos Balcãs ocidentais.

No domingo, a União Democrata-Cristã (CDU) de Merkel foi derrotada em eleições regionais parciais, incluindo no bastião conservador de Baden-Wuerttenberg, devido à impopularidade da sua política migratória.

A chanceler alemã reiterou hoje que vai manter essa política, designadamente a defesa de uma política europeia comum de reforçar a segurança nas fronteiras externas da Europa e da cooperação com a Turquia na gestão dos fluxos migratórios.

"Penso que a abordagem é correta", disse.

Mas, a poucos dias de uma cimeira europeia dedicada à definição dos pormenores do acordo com a Turquia, Merkel afirmou que não tenciona passar um "cheque em branco" a Ancara.

"Há questões relacionadas com a Turquia e é muito importante sublinhar que a Turquia tem de cumprir determinadas condições, sem exceção", disse.

A Turquia, principal ponto de partida dos migrantes que chegam à Europa, propôs na semana passada à União Europeia (UE) combater as redes de tráfico de pessoas e receber de volta os refugiados que entrem ilegalmente na Grécia, em troca de 3.000 mil milhões de euros, de isenção de vistos europeus para os turcos e da aceleração das negociações de adesão à UE.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por avalanche em Itália
    1:44
  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.