sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Merkel admite que Alemanha beneficia com fecho de fronteiras nos Balcãs

A chanceler alemã, Angela Merkel, admitiu hoje que a Alemanha beneficia da decisão de países dos Balcãs de fecharem as fronteiras aos migrantes, mas insistiu que não é "uma solução sustentável" para a crise migratória na Europa.

© Stefanie Loos / Reuters

"É incontestável que a Alemanha beneficia [do encerramento da rota], mas vemos pelas imagens que chegam da Grécia que não é uma solução sustentável", disse Merkel à imprensa.

A Alemanha, que no último ano recebeu milhares de pedidos de asilo por dia, registou um decréscimo significativo de entradas desde os encerramentos de fronteiras nos Balcãs ocidentais.

No domingo, a União Democrata-Cristã (CDU) de Merkel foi derrotada em eleições regionais parciais, incluindo no bastião conservador de Baden-Wuerttenberg, devido à impopularidade da sua política migratória.

A chanceler alemã reiterou hoje que vai manter essa política, designadamente a defesa de uma política europeia comum de reforçar a segurança nas fronteiras externas da Europa e da cooperação com a Turquia na gestão dos fluxos migratórios.

"Penso que a abordagem é correta", disse.

Mas, a poucos dias de uma cimeira europeia dedicada à definição dos pormenores do acordo com a Turquia, Merkel afirmou que não tenciona passar um "cheque em branco" a Ancara.

"Há questões relacionadas com a Turquia e é muito importante sublinhar que a Turquia tem de cumprir determinadas condições, sem exceção", disse.

A Turquia, principal ponto de partida dos migrantes que chegam à Europa, propôs na semana passada à União Europeia (UE) combater as redes de tráfico de pessoas e receber de volta os refugiados que entrem ilegalmente na Grécia, em troca de 3.000 mil milhões de euros, de isenção de vistos europeus para os turcos e da aceleração das negociações de adesão à UE.

Lusa

  • Pescador resgatado de um lago gelado na Estónia
    1:08