sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Europeus receiam mais o fluxo migratório que o terrorismo

A Europa tem mais medo do fluxo de migrantes do que do terrorismo, segundo o relatório de um grupo de monitorização dos direitos europeus, disse hoje o comissário Europeu dos Direitos Humanos, Nils Muiznieks, ao Conselho da Europa.

© Handout . / Reuters

O ano de 2015 "foi de medo e insegurança" para o continente, afirmou o responsável perante o Conselho da Europa, acrescentando que apesar dos atentados terroristas do ano passado, "mais generalizado do que o medo do terrorismo era o medo crescente ocasionado pelo contínuo fluxo de migrantes".

Nils Muiznieks exemplificou com o impacto na perceção pública de dois atentados terroristas em Paris - o assalto de janeiro ao jornal satírico Charlie Hebdo e o ataque coordenado em novembro, que matou 130 pessoas, para sublinhar que este é um "medo multifacetado" que afetou vários países.

"Para alguns, o fluxo sinalizou a impotência dos governos individualmente e da Europa como um todo para controlar as fronteiras, enquanto para outros, as chegadas contínuas e as esperas aumentam as dúvidas sobre a capacidade da Europa para gerir a diversidade e aumentar preconceitos contra os muçulmanos, que já estão generalizados", acrescentou.

O relatório apresentado hoje no Conselho da Europa também faz soar as campainhas de alarme sobre a insegurança na Ucrânia, que já levou o Governo de Kiev a procurar exceções ao cumprimento de obrigações sobre os direitos humanos, e sobre a liberdade de imprensa na Europa de Leste, incluindo a Polónia e os países da região dos Balcãs.

Lusa

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06