sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

UE aceitou mais de 333 mil refugiados em 2015, na maioria sírios

A União Europeia (UE) concedeu em 2015 proteção especial a 333.350 pessoas, mais 72 por cento do que em 2014, segundo dados hoje divulgados pelo Eurostat.

© Ina Fassbender / Reuters

Os principais beneficiários, na média dos 28 Estados-membros, são originários da Síria (166.100 pessoas, 50% do total de concessões de asilo), seguindo-se cidadãos da Eritreia (27 600, representando 8% do total) e do Iraque (23.700, 7% do total).

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, o número de atribuições de asilo a sírios duplicou face a 2014 e estes são ainda os principais beneficiários de proteção em mais de metade dos Estados-membros, sendo que a Alemanha acolheu mais de 60% no ano passado.

A Alemanha foi o país que maior número de refugiados acolheu (148. 215), seguindo-se a Suécia (34.470) e a Itália (29.630).

Portugal concedeu proteção a 195 pessoa, estando em 21.º lugar no número de atribuições de asilo.

Desde 2008, cerca de 1,1 milhões de requerentes de asilo viram o seu estatuto ser reconhecido na UE.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras