sicnot

Perfil

Crise Migratória na Europa

Portugal recebe mais 111 refugiados em junho

Portugal recebe mais 111 refugiados em junho

Portugal prepara-se para receber mais de uma centena de refugiados durante o mês de junho. O número foi hoje avançado pela ministra da Administração Interna, para quem as maiores dificuldades são agora de natureza burocrática. Hoje chegaram 31 a Lisboa.

Os refugiados que hoje chegaram a Portugal são na maioria sírios, vindos da Grécia, através do chamado mecanismo de recolocação.

Com a chegada deste novo grupo, Portugal já recebeu ao todo 335 pessoas, a maioria síria, mas também migrantes da Eritreia, vindos através de Itália.

A ministra da Administração Interna precisou que os 31 refugiados chegados hoje, recebidos por Portugal ao abrigo do mecanismo europeu de recolocação, se vão juntar às 335 pessoas que já chegaram a Portugal, "sobretudo de nacionalidade síria, que vêm da Grécia, e também de nacionalidade eritreia, que vêm de Itália".

Constança Urbano de Sousa assinalou ainda que a rede de acolhimento de refugiados está dispersa por todo o território do país e indicou que 52 municípios também estão envolvidos no acolhimento e integração destes refugiados.

O Governo garante que o país já recebeu de Bruxelas, as verbas que dizem respeito ao acolhimento e integração dos refugiados. Todos eles estão a ser distribuídos por todo o país, através de instituições de solidariedade social, num total de 52 municípios.

Mais 111 refugiados em junho

"Nas próximas semanas vamos receber mais refugiados oriundos da Grécia, cumprindo assim aquilo que é o nosso dever, não apenas jurídico mas civilizacional enquanto país europeu", disse Constança Urbano de Sousa, que hoje recebeu em Lisboa o Comissário Europeu para as Migrações, Assuntos internos e Cidadania, Dimitris Avramopoulos.

"Também vamos começar a receber os primeiros refugiados sírios que vêm reinstalados a partir da Turquia", adiantou a ministra em declarações a jornalistas.

Maiores dificuldades são agora burocráticas

Numa referência às dificuldades em torno deste processo de acolhimento, a ministra destacou os "procedimentos estabelecidos no direito da UE que estão a cargo das autoridades territorialmente competentes", em particular as gregas ou italianas.

"E são procedimentos que têm de ser cumpridos, são talvez um pouco burocráticos e não adequados à emergência do problema", ressalvou a responsável pela Administração interna sublinhando que de momento "já estão resolvidas" muitas das dificuldades logísticas.

A ministra referiu um "maior envolvimento do gabinete europeu de asilo" na abordagem a estes processos.

"Penso que a partir de agora estão criadas as condições para que este processo de recolocação seja mais rápido, mais célere, de forma a também atingirmos o objetivo fixado inicialmente e cumprirmos o nosso dever", disse.

Constança Urbano de Sousa também confirmou que as verbas destinadas aos refugiados já foram disponibilizadas e estão a ser distribuídas pelas associações que integram e acolhem estas pessoas.

  • As crianças e o frio. O que vestir
    1:58

    País

    O médico Pedro Ribeiro da Silva, da Direção-Geral da Saúde, aconselha especial cuidado com as extremidades do corpo - usar luvas e gorros. E demasiado agasalhadas pode levá-as a transpirar mais e, consequentemente, desidratar.

  • Mortágua acusa PSD de andar a brincar com a vida das pessoas
    0:47

    Opinião

    No Esquerda/Direita da SIC Notícias, António Leitão Amaro reafirmou ontem à noite que o PSD não é contra o aumento do salário mínimo mas contra a descida da TSU. Já Mariana Mortágua acusou os sociais-democratas de andar a brincar com a vida dos portugueses.

  • Pelo menos 30 mortos e 75 feridos em incêndio e derrocada de edifício em Teerão

    Mundo

    Pelo menos 30 bombeiros morreram esta quinta-feira e cerca de 75 pessoas ficaram feridas em Teerão, quando um edifício de 17 andares ruiu depois de ser consumido pelas chamas, noticiaram os meios de comunicação estatais iranianos. O edifício "Plasco" situa-se no centro da capital iraniana, a norte da zona do mercado.

    Em desenvolvimento

  • Os finalistas do Carro do Ano 2017 são...
    0:53

    Economia

    São sete os escolhidos pelos jurados do Carro do Ano, iniciativa do Expresso e da SIC Notícias. À final chegaram o Citroen C3 Pure Tech, o Hyundai IONIQ Hybrid Tech, da Kia o novo modelo Optima Sportwagon 1.7 CRDi GT Line, o Peugeot 3008 Allure 1.6 BlueHdi, o Renault Mégane Sport Tourer Energy dCI, o SEAT Ateca 1.6 TDI CR Style e ainda o Volvo V90.