sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Resgatadas 1.288 pessoas no Mediterrâneo, 51 dos quais num barco à vela

Um total de 1.288 migrantes foram hoje resgatados das águas do mar Mediterrâneo, 51 dos quais a bordo de um barco à vela, indicou a Guarda Costeira italiana em comunicado.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Alkis Konstantinidis / Reuter

Foram resgatados em seis operações distintas, cinco delas no canal da Sicília, que separa as costas dessa ilha italiana do litoral líbio e tunisino.

Os guardas costeiros disseram que foi "particularmente complicado" o resgate de um barco de pesca no qual viajavam 430 migrantes, devido às "condições meteorológicas adversas e ao mar picado".

Para salvar estas pessoas, intervieram desde as primeiras horas de hoje quatro navios da Guarda Costeira e da Guarda Fiscal (polícia fiscal e de controlo fronteiriço italiana), bem como três navios mercantes.

Todos os migrantes assistidos pelos guardas costeiros foram transferidos para o barco "Bourbon Argos", dos Médicos Sem Fronteiras, e para o navio mercante "Jazan".

Outros 807 migrantes que se encontravam a bordo de três lanchas pneumáticas e de uma barcaça foram socorridos pela "Nave Diviotti", da Guarda Costeira, e por uma unidade naval da Marinha e da fundação Migrant Offshore Aid Station (MOAS), sediada em Malta.

De acordo com as mesmas fontes, as autoridades intercetaram a sul da costa de Otranto (Apúlia) um barco à vela em que viajavam 51 migrantes.

Lusa

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19

    Mundo

    O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos recebeu ao início da tarde na Noruega o prémio pelo trabalho que desenvolveu junto das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, FARC. As cerimónias são este sábado e marcadas pela ausência do Nobel da Literatura, Bob Dylan.

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55

    Football Leaks

    Com o escândalo dos agentes de futebol a dar que falar, o Expresso revela este sábado os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa. O nome da empresa de que é administrador, a Energy Soccer, surge na investigação em transferências de jogadores que envolvem o Futebol Clube do Porto num conflito de interesses.