sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Vinte e dois corpos foram recuperados e outras 209 pessoas resgatadas com vida no Mediterrâneo

(Arquivo)

© Alkis Konstantinidis / Reuter

Os cadáveres de 22 migrantes foram recuperados e outras 209 pessoas foram também resgatadas com vida quarta-feira em duas embarcações no Mediterrâneo Central, informou num comunicado a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF).

Segundo a nota, o navio de busca e resgate Aquarius resgatou 209 pessoas que estavam em duas embarcações insufláveis em perigo nas águas do Mediterrâneo Central.

As equipas do Aquarius, operado em uma parceria entre Médicos Sem Fronteiras e SOS Mediterranée, também recuperaram os corpos de 21 mulheres e 1 homem que morreram.

"Quando a nossa equipa se aproximou da primeira embarcação, viu corpos no fundo do barco, numa poça de combustível", relatou Jens Pagotto, chefe das operações de busca e resgate de MSF.

"Os sobreviventes estavam no bote com os corpos há horas. Muitos estavam traumatizados demais para contar o que aconteceu. Não está claro como exatamente essas mulheres morreram", acrescentou.

Para Pagotto, está claro que essas mortes são consequência de uma resposta global à chamada crise dos refugiados que é insuficiente e inadequada.

"Políticas que tentam manter as pessoas longe não estão funcionando. Quantas vidas mais se perderão no mar antes que pessoas que precisam de ajuda e proteção tenham uma alternativa segura?", questionou.

Entre as 209 pessoas resgatadas pela equipa do Aquarius, havia 127 homens, 32 mulheres, das quais duas grávidas, e 50 crianças, das quais 45 viajavam desacompanhadas.

As equipas de MSF vão continuar a trabalhar para prestar assistência médica e apoio aos sobreviventes a bordo do navio, segundo a nota.

Lusa

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.