sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Polícia Marítima resgata 35 migrantes no Mar Egeu

A Polícia Marítima (PM) resgatou no domingo 35 migrantes que atravessavam o Mar Egeu em direção à Grécia, informou esta autoridade hoje em comunicado.

"No total foram resgatados 35 emigrantes e refugiados, dos quais 1 criança, 12 mulheres e 22 homens. Estes eram oriundos do Afeganistão, Camarões, Eritreia, Haiti, Mali e Síria", esclarece a PM, no comunicado.

A PM acrescentou que no decorrer da operação de resgate foi distribuída água aos migrantes, e que o bote onde seguiam em direção à Grécia foi rebocado. Todas as pessoas resgatadas foram depois transferidas para um navio inglês, também integrado na missão no Mar Egeu, e encaminhadas para o porto de Mitilene, onde foram registadas.

"A PM já resgatou, em segurança e transportou para terra, 3238 refugiados e emigrantes que corriam risco de vida, dos quais 835 bebés e crianças e 704 mulheres, e deteve 5 facilitadores", lê-se no comunicado.

A PM está a patrulhar as águas do Mar Egeu desde outubro de 2015, integrada na missão da agência europeia para vigilância e controlo de fronteiras -- FRONTEX -- e vai "manter o seu apoio à Guarda-costeira grega, com o objetivo de cooperar no controlo e vigilância das fronteiras marítimas gregas e no combate ao crime transfronteiriço" até setembro deste ano.

Compõem a equipa da PM 11 agentes e dois técnicos.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.