sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Mais de 100 mortos em naufrágio na costa do Egito

© Mohamed Abd El Ghany / Reuter

O balanço do naufrágio de uma embarcação de pesca que transportava centenas de migrantes perto da costa do Egito elevou-se para 108 mortos após a recuperação de 53 corpos, indicou hoje um responsável do Ministério da Saúde egípcio.

"Foram recuperados [hoje de manhã] 53 corpos", afirmou o representante egípcio, Adel Khalifa.

A embarcação virou-se na quarta-feira no Mediterrâneo, a cerca de 12 quilómetros ao largo da cidade portuária de Rosetta, e 163 pessoas foram resgatadas.

Um responsável local informou entretanto que pelo menos 115 pessoas perderam a vida no incidente de quarta-feira.

Não existem informações disponíveis até ao momento para explicar a discrepância entre os números de vítimas avançados pelos dois responsáveis.

Este naufrágio surge meses após responsáveis da agência de gestão de fronteiras da União Europeia (Frontex) ter alertado para o crescente número de migrantes que tentam alcançar a Europa a partir do Egito, um novo ponto de partida para a perigosa travessia e que surge na sequência do encerramento da rota dos Balcãs e do acordo União Europeia (UE)/Turquia sobre migrações e refugiados.

As embarcações disponibilizadas pelos traficantes estão muitas vezes em mau estado e sobrelotadas com passageiros que pagaram a viagem.

De acordo com a ONU, mais de 10.000 pessoas morreram desde 2014 quando tentavam atravessar o Mediterrâneo em direção à Europa.

"O Egito está a tornar-se num país de partida", tinha já referido em junho o diretor executivo da Frontex, Fabrice Leggeri, numa entrevista a jornais regionais alemães.

"Este ano, [até meados de setembro], 1.000 embarcações vindas Egito chegaram a Itália", disse.

De acordo com os dados mais recentes do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR), mais de 300.000 migrantes atravessaram o Mediterrâneo para chegar à Europa em 2016, contra 520.000 nos primeiros nove meses de 2015.

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa para receber dois beijos. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.