sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

União Europeia quer recolocar 30 mil refugiados atualmente na Grécia até 2018

A União Europeia planeia recolocar 30 mil refugiados atualmente na Grécia até ao final do próximo ano, anunciou esta quarta-feira o executivo comunitário, acrescentando que está a fazer "progressos significativos" na forma de lidar com a crise migratória.

Um relatório da Comissão Europeia indica que o acordo com a Turquia para reduzir o fluxo de migrantes para as ilhas gregas está a revelar-se um êxito. No entanto, apesar das boas perspetivas para a questão dos refugiados na Grécia, as nações da União Europeia deverão ficar aquém do objetivo global - acordado há um ano - de distribuir entre todos cerca de 160 mil migrantes.

"Temos feito grandes progressos como União (Europeia), mas ainda temos mais trabalho pela nossa frente", disse o comissário europeu para as Migrações, Dimitris Avramopoulos, ao revelar vários relatórios em diversas áreas relacionadas com a crise.

"Com o aumento da capacidade do Serviço de Asilo da Grécia, e se os Estados-membros aumentarem os seus esforços, será possível recolocar os candidatos (a asilo) ainda na Grécia (cerca de 30 mil) até ao final do próximo ano", indicou a Comissão Europeia num dos relatórios.

A Grécia acolhe atualmente mais de 60 mil refugiados e migrantes, presos no país quando vários estados dos Balcãs e outros Estados-membros da UE fecharam as suas fronteiras no início do ano.

Apenas cerca de metade deles é elegível para recolocação na UE ao abrigo do plano dedicado a sírios, iraquianos e eritreus.

A média de migrantes que chega diariamente às ilhas gregas é de 85 pessoas desde junho, muito abaixo das 1.700 pessoas por dia que chegavam em março e das 7.000 por dia em outubro de 2015, salientou o executivo comunitário.

Segundo a Comissão, tal deve-se ao bom funcionamento do acordo com a Turquia.

Portugal recebeu até agora 555 refugiados no âmbito do programa de recolocação de pessoas que estão em campos na Grécia (372) e Itália (183), segundo os dados hoje divulgados pela Comissão Europeia.

A UE vai manter o regime de exceção à livre circulação do Espaço Shengen aplicado a cinco países por causa da crise migratória. No entanto, vai manter o plano de restaurar as regras Shengen na sua totalidade até ao final do ano.

"O nosso objetivo continua a ser de levantar todos os controlos fronteiriços", disse Avramopoulos.

A Europa tem vindo a enfrentar a maior crise migratória desde o final da II Guerra Mundial, com mais de um milhão de refugiados e migrantes a chegar às suas fronteiras no ano passado. Estes migrantes fugiam dos conflitos da Síria e do Médio Oriente, bem como da pobreza em África.

Lusa

  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.