Falhado o acesso à Liga dos Campeões, acentuou-se o clima de crispação entre o presidente Bruno de Carvalho e os jogadores e restante equipa técnica. Um clima de tensão que se converteu em terror, com dezenas de adeptos a invadirem a Academia de Alcochete e a agredirem vários elementos do plantel leonino.