Crise no Sporting

GNR mobilizou "efetivo de mais de 100 militares" para Alcochete após o alerta do Sporting

LUSA

Os acontecimentos desta terça-feira, na Academia do Sporting em Alcochete, com jogadores e equipa técnica a serem alvo de agressões, levaram a GNR a divulgar um comunicado. De acordo com o documento, a direção do Sporting avisou a GNR, pelas 17h06, logo depois de um grupo de adeptos invadir as instalações. O alerta do clube, que se repetiu poucos minutos mais tarde perante o agravamento da situação, solicitava a presença da GNR, que acabou por mobilizar "um efetivo de mais de 100 militares". No total, foram detidos 23 suspeitos, refere o comunicado da GNR.

A GNR divulgou um esclarecimento sobre os acontecimentos de terça-feira à tarde na Academia do Sporting em Alcochete. No documento, são referidos os detalhes das horas dos contactos por parte do clube de Alvalade e as diligências tomadas pelas Guarda Nacional Republicana.

"As primeiras patrulhas da GNR chegaram às instalações da Academia às 17h20, que reagindo de imediato montaram barreiras policiais nas estradas de acesso às imediações da Academia, no sentido de detetar e deter eventuais suspeitos.

Momentos depois, foram detetadas três viaturas nas imediações, tendo uma delas quase abalroado a barragem montada e invertido a sua marcha, iniciando a fuga. Em ato contínuo, os militares iniciaram o seguimento das viaturas em fuga, tendo intercetado uma delas, abordado, revistado e detido cinco suspeitos.

Poucos momentos depois, com a chegada de mais meios da GNR, foram intercetadas mais quatro viaturas nas imediações, tendo os militares detido mais 18 suspeitos".

De acordo com o documento, foram também mobilizados "meios de Investigação Criminal iniciaram as necessárias diligências de preservação e recolha de prova, com recurso a especialistas forenses".

Os suspeitos foram levados para o posto da GNR de Alcochete e as vítimas e testemunhas encaminhadas para o destacamento territorial do Montijo.

"No total, foram detidos 23 suspeitos, apreendidas 5 viaturas ligeiras, vários artigos relacionados com os crimes e recolhidos depoimentos de 36 pessoas, entre jogadores, equipa técnica, funcionários e vigilantes ao serviço do clube".

"A GNR mobilizou um efetivo de mais de 100 militares, do comando territorial de Setúbal, da unidade de intervenção e da Direção de Investigação Criminal, tendo ainda sido apoiada, em matéria de informação criminal, pela Polícia Judiciária e polícia de segurança pública", esclarece o comunicado.

  • "O Mal Entendido: as doenças a que chamamos cancro" - capítulo 4: Os maratonistas
    33:52
  • O verdadeiro alarme e ameaça à segurança interna está no roubo das pistolas
    0:50

    Assalto em Tancos

    O general Leonel de Carvalho associa o roubo em Tancos ao desaparecimento de 57 armas da PSP de Lisboa, em fevereiro do ano passado. O antigo secretário geral do Gabinete coordenador de Segurança considera ainda que o verdadeiro alarme e ameaça à segurança interna está no roubo dessas pistolas e não no alegado desaparecimento de algumas granadas e outro material explosivo de pouca capacidade.

  • "Aquilo parecia um filme de terror"
    1:40

    Crise no Sporting

    Jorge Jesus abordou os incidentes de Alcochete pela primeira vez. Em entrevista à Bola TV, o treinador português, agora no Al Hilal da Arábia Saudita, falou do medo que viveu naqueles momentos. Jorge Jesus disse também que não fecha a porta a nenhum clube em Portugal.

  • Benfica promete queixa-crime contra quem divulgou contratos de Castillo e Ferreyra
    1:26

    Desporto

    Um blog divulgou na internet os valores dos contratos de dois dos reforços do Benfica, Castillo e Ferreyra. O clube da Luz promete agir judicialmente contra quem divulgou estas informações. A SIC sabe que devido à gravidade dos factos a Liga de Clubes está a considerar suspender os funcionários da instituição até que este caso seja esclarecido.

  • Santana diz que a concorrência é livre
    0:52
  • Donald Trump envolvido em mais uma polémica
    1:49
  • 20 quilómetros até ao trabalho valeu um carro

    Mundo

    Quando o carro de Walter Carr deixou de funcionar um dia antes do primeiro dia de trabalho numa empresa de mudanças, ele não desistiu nem ligou a dizer que ia faltar. Saiu de casa à meia-noite e fez mais de 20 quilómetros a pé para chegar a horas. No final recebeu uma recompensa.

    SIC