sicnot

Perfil

Descarrilamento na Galiza

Descarrilamento na Galiza

Descarrilamento na Galiza

Maquinista português entre os 4 mortos no acidente ferroviário na Galiza

SALVADOR SAS

Um comboio de passageiros, que fazia o trajeto Vigo-Porto, descarrilou esta manhã junto à estação de O Porriño, na região da Galiza. Há quatro vítimas mortais, incluindo um português, o maquinista. O acidente causou ainda 48 feridos, segundo o último balanço da Junta da Galiza.

SALVADOR SAS

Última atualização às 14:09

Além do maquinista português, as outras vítimas mortais são dois espanhóis funcionários da Rede Nacional Ferroviária de Espanha (Renfe) e um cidadão norte-americano.

Não se confirma a existência de uma quinta vítima mortal, hipótese que chegou a ser avançada pelo presidente da Junta da Galiza, Alberto Núñez Feijóo.

Entre os feridos há três portugueses. No total, 48 pessoas ficaram feridas no acidente, distribuídas por três hospitais da região.

O comboio é propriedade da portuguesa CP e da Renfe. A empresa espanhola avançou primeiro que era da CP e fazia o trajeto Vigo-Porto, partilhado entre as duas transportadoras. Informação que foi mais tarde desmentida pelo ministro do Planeamento e Infraestruturas português, Pedro Marques, que explicou à chegada ao local do acidente que o comboio é propriedade da empresa espanhola. Instantes depois, ao lado do seu homólogo espanhol, o presidente da CP, Manuel Queiró, garantiu que "o comboio é das duas empresas".

A composição de três carruagens saiu às 8:02 (hora portuguesa) de Vigo e o acidente aconteceu perto de meia hora depois. Deveria ter chegado ao Porto às 10:18.

A Renfe informou que seguiam 65 pessoas a bordo (maquinista, revisor e 63 passageiros), número que não foi confirmado pela CP. A empresa portuguesa dá conta de 69 passageiros a bordo do comboio acidentado.

Vários meios de emergência, incluindo 11 ambulância e 2 helicópteros, foram destacados de imediato para o local do acidente. Um Grupo de Intervenção Psicológica em Catástrofes e Emergências, em colaboração com a Cruz Vermelha, está a prestar auxílio às vítimas.

As autoridades portuguesas divulgaram duas linhas telefónicas consulares de emergência que visam prestar informações sobre as vítimas do acidente: 00 351 707 202000 e 00 351 961706472.

SALVADOR SAS

As causas do descarrilamento da composição são ainda desconhecidas, informou um porta-voz da Renfe. A Adif, entidade que administra as infraestruturas ferroviárias espanholas, abriu uma investigação para apurar as causas do acidente.

Está a ser averiguada a possibilidade de haver operários a trabalhar na linha férrea. "Há equipas a trabalhar na zona", adiantou a autarca de O' Porriño, Eva García de la Torre.

De acordo com a autarca, em entrevista à SIC Notícias, além de portugueses e espanhóis, havia também turistas de várias nacionalidades a viajarem no comboio acidentado.

A circulação ferroviária está interrompida.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.

  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.