sicnot

Perfil

Ébola

Ébola

Ébola

OMS anuncia fim da epidemia de Ébola na África Ocidental

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou hoje oficialmente o fim da epidemia de Ébola na África Ocidental, após ter terminado o período de transmissão da doença na Libéria.

© Eddie Keogh / Reuters

"Hoje, a OMS declara o fim da epidemia de Ébola na Libéria e afirma que todas as cadeias de transmissão conhecidas na África Ocidental foram travadas", indicou a instituição, com sede em Genebra (Suíça).

Iniciada em dezembro de 2013 na Guiné-Conacri, a epidemia propagou-se depois aos vizinhos Libéria e Serra Leoa, três países que concentraram 99% dos casos, bem como à Nigéria e Mali.

Em dois anos, o vírus da doença, identificado pela primeira vez há quatro décadas, chegou, importada, a Espanha e aos Estados Unidos, tendo afetado 28.637 pessoas e vitimado mortalmente 11.315 delas.

O balanço, que a OMS admite estar ainda subavaliado, é superior a todas as epidemias de Ébola acumuladas desde a identificação do vírus na África Central, em 1976.

Após a Serra Leoa, a 07 de novembro de 2015, e a Guiné-Conacri, a 29 de dezembro do mesmo ano, a Libéria chegou hoje ao 42.º dia - duas vezes mais do que o período máximo de incubação -, depois de um segundo teste negativo no último paciente.

No entanto, o risco persiste dado que o vírus permanece em certos líquidos corporais de sobreviventes, nomeadamente no esperma, onde pode subsistir até nove meses.

Na quarta-feira, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, admitiu a possibilidade de o vírus poder reaparecer "nos próximos anos", mesmo que a sua amplitude e frequência devam "diminuir" com o tempo.

"Devemos permanecer mobilizados", alertou hoje Peter Graaff, diretor da OMS para a epidemia do Ébola.

"Esta doença não nos pode destruir como até agora. Nós, médicos, também fomos afetados (morreram 192 dos 378 contaminados)", disse Francis Karteh, responsável da Célula Nacional de Crise anti-Ébola liberiano.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.