sicnot

Perfil

Ébola

Ébola

Ébola

OMS declara fim da epidemia de Ébola na Guiné-Conacri

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou hoje o fim da epidemia provocada pelo vírus do Ébola na Guiné-Conacri. O país entra agora num período de 90 dias de "elevada vigilância", indica um comunicado da organização.

Reuters

Passados 42 dias (duas vezes o período máximo de incubação) sem um novo caso de Ébola, a OMS elogiou "o Governo da Guiné-Conacri e o seu povo" pela sua ação face à doença, ao declarar o seu fim.

"Temos de continuar vigilantes para garantir que são detetados rapidamente e travados quaisquer novos casos que possam ocorrer", disse Abou Bekr Gaye, representante da OMS na Guiné-Conacri, citado no comunicado.

Segundo a agência das Nações Unidas, no último surto da doença no país, registaram-se sete casos confirmados e três prováveis de Ébola entre 17 de março e 06 de abril. Outros três casos foram confirmados numa mulher e nos seus dois filhos que viajaram da Guiné-Conacri para a Libéria.

A fonte de infeção deste surto poderá ter sido a exposição a fluidos corporais infetados de um sobrevivente de Ébola, indica a OMS, adiantando que "subsiste o risco" de outros surtos com a mesma origem.

A epidemia de Ébola na África Ocidental iniciou-se em dezembro de 2013 na Guiné-Conacri e causou mais de 11.300 mortos, essencialmente neste país, na Serra Leoa e na Libéria.

A 29 de março, a OMS anunciou que aquela epidemia, a mais grave desde a identificação do vírus em 1976, já não representava uma "emergência de saúde pública de âmbito internacional", como tinha declarado em agosto de 2014.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19