sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Turquia vai começar "em breve" a combater jihadistas do Estado Islâmico

A Turquia vai começar "em breve" a combater o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) no norte da Síria, declarou o chefe da diplomacia turco, Mevlut Cavusoglu, durante um encontro com o seu homólogo norte-americano, John Kerry, na Malásia.

Fronteira da Turquia com a Síria.

Fronteira da Turquia com a Síria.

© Murad Sezer / Reuters

"Atualmente, em conjunto com os Estados Unidos, treinamos e equipamos a oposição moderada (síria) e vamos também iniciar o nosso combate contra o Daesh (acrónimo árabe do Estado Islâmico), em breve, e de modo eficaz", assegurou o ministro aos jornalistas no início do encontro à margem da cimeira regional sobre segurança organizada pela Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).

"Depois será mais seguro para os opositores moderados que combatem o Daesh no terreno", adiantou.

Os Estados Unidos há muito que incentivam a Turquia, aliado histórico, a reforçar a luta contra o EI, mas Ancara têm-se mostrado reticente.

A posição mudou após ataques mortíferos em solo turco, alguns dos quais foram atribuídos ao EI.

Desde então, a Turquia realizou uma série de ataques aéreos, indicando que tinha como alvo militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no norte do Iraque, assim como 'jihadistas' do EI. Mas observadores afirmam que os combatentes do PKK foram muito mais frequentemente visados do que o EI nos ataques aéreos.

Em julho, Ancara anunciou autorizar que aviões militares norte-americanos lançassem ataques contra os 'jihadistas' a partir de Incirlik, uma base aérea no sul da Turquia.

A iniciativa marcou um aumento significativo do papel da Turquia na luta contra os militantes do EI, que ocuparam largos territórios no Iraque e na Síria.

lUSA

  • Crianças trocadas à nascença não querem mudar de pais

    Mundo

    Tem todos os ingredientes de um argumento de filme, mas aconteceu de facto na Índia. Dois bebés foram trocados à nascença na maternidade, os resultados de ADN confirmaram-no quase três anos depois, mas as crianças, atualmente com 2 anos e 10 meses, não querem mudar de família.

    SIC

  • Agressões e rascismo em escola de Portimão
    3:06

    País

    Queixas de agressões, insultos, discriminação e racismo numa escola básica de Portimão estão a ser alvo de um processo de averiguações, por parte da autarquia e da direção do agrupamento escolar. As denúncias partem de um grupo de pais e foram tornadas públicas pela organização SOS Racismo.  A principal visada é uma funcionária da cantina, mas também uma professora.

  • Os (maus) hábitos do português ao volante
    1:31