sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Pena de morte no Egito para 12 pessoas ligadas ao grupo Estado Islâmico

Um tribunal egípcio confirmou hoje, após receber o parecer do Mufti do Egito, a pena de morte para 12 pessoas acusadas de pertencer ao grupo 'jihadista' Estado Islâmico e de ter planeado ataques contra a polícia e o exército.

© Mohamed Abd El Ghany / Reuter

No mês passado, o tribunal da província de Charkiya, no norte do país, condenara à pena de morte este grupo de pessoas consideradas culpadas de se terem aliado ao grupo extremista Estado Islâmico (EI), formado uma "célula terrorista" no Egito e planeado atentados contra a polícia e o exército.

Seis elementos do grupo encontram-se encarcerados e os outros seis foram julgados e condenados à revelia.

Nos termos da lei egípcia, as penas de morte proferidas devem obter o parecer, não vinculativo, do Mufti do Egito antes de serem confirmadas ou comutadas.

Desde que o exército destituiu o Presidente islâmico Mohamed Morsi, em 2013, os grupos 'jihadistas' multiplicaram os atentados contra as forças de segurança, dizendo agir em retaliação à sangrenta repressão lançada contra os apoiantes de Morsi e que fez mais de 1.400 mortos.

Centenas de polícias e soldados foram mortos em ataques 'jihadistas' nos últimos meses, em particular no norte do país e na península do Sinai, bastião do braço egípcio do EI.

Lusa

  • Mais cinco ilhas dos Açores sob aviso vermelho

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou esta quarta-feira para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.