sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Bashar al-Assad diz que Síria não é incubadora do Daesh

O Presidente sírio Bashar al-Assad declarou, na quarta-feira, que o seu país, devastado pela guerra, não é a "incubadora" do Daesh, culpando o Ocidente pela criação de organizações 'jihadistas'.

© Khalil Ashawi / Reuters

"Posso afirmar que o Daesh não tem uma incubadora natural, uma incubadora social, na Síria", disse, numa entrevista televisiva à emissora italiana Rai, usando o acrónimo árabe para se referir ao grupo extremista Estado Islâmico.

Os 'jihadistas' que treinaram na Síria para os ataques de Paris de sexta-feira passada, e outros, fizeram-no devido "ao apoio" da Turquia, Arábia Saudita e do Qatar "e, claro, das políticas ocidentais que apoiaram os terroristas de diferentes modos", insistiu.

O Daesh "não começou na Síria, começou no Iraque, e começou antes disso no Afeganistão", disse, citando o antigo primeiro-ministro britânico Tony Blair, que afirmou que "a guerra do Iraque ajudou a criar o Daesh".

A confissão de Blair "é a prova mais importante", afirmou.

Mais de 250 mil pessoas morreram no conflito na Síria e milhões fugiram, à medida que o Daesh tomou controlo de vastas áreas do território sírio e iraquiano, que são geridas sob uma severa interpretação da Lei Islâmica.

Assad defendeu que não pode haver qualquer calendário de transição para as eleições enquanto partes do país estiverem ainda controladas por rebeldes.

"Este calendário começa depois de começarmos a vencer o terrorismo. Não se pode conseguir nada em termos políticos enquanto houver terroristas a apoderarem-se de muitas áreas na Síria", disse.

Depois disso, "um ano e meio, dois anos, são suficientes para qualquer transição", considerou.

Lusa

  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • Depois do Fogo
    23:30
  • "A culpa morre sozinha?"
    0:41

    Opinião

    Luís Marques Mendes não acredita que o Ministério Público não formule uma acusação de homicídio por negligência e que não haja demissões na sequência do incêndio de Pedrógão Grande. O comentador da SIC debateu o tema este domingo no Jornal da Noite da SIC.

    Luís Marques Mendes

  • O último adeus a Miguel Beleza

    País

    O velório do economista e ex-ministro das Finanças realiza-se esta segunda-feira na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, a partir das 18h00.

  • Trump quebra tradição da Casa Branca com 20 anos

    Mundo

    Donald Trump decidiu não fazer um jantar de celebração pelo fim do Ramadão, o mês em que os muçulmanos cumprem jejum entre o nascer e o pôr do sol. O Presidente dos Estados Unidos quebrou a tradição da Casa Branca, pela primeira vez em 20 anos.