sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Atacante morto em Paris terá jurado "obediência" ao grupo Daesh

O homem abatido esta manhã em Paris frente a uma esquadra da polícia já foi identificado e terá jurado "obediência" ao grupo 'jihadista' Daesh, referiram fontes da investigação citadas pela agência noticiosa AFP.

© Charles Platiau / Reuters

De acordo com os responsáveis pelo inquérito, o atacante trazia consigo um papel que mencionava, em árabe, a sua "obediência" ao chefe do grupo 'jihadista', Abou Bakr al-Baghdadi, justificando o seu ato como uma vingança pelos "ataques na Síria".

Antes desta revelação, o procurador de Paris tinha já indicado que no referido papel figurava uma bandeira do Daesh e "uma reivindicação manuscrita inequívoca em árabe".

Os mesmos responsáveis referiram que o atacante também é conhecido dos serviços policiais por um caso de roubo ocorrido em 2013 no sul de França.

No momento em que decorreram estes factos, o homem identificou-se como Sallah Ali, nascido em 1955 em Casablanca, Marrocos, e sem residência fixa. As suas impressões digitais ficaram desde então registadas no Ficheiro Automatizado das Impressões Digitais (FAED), ainda segundo responsáveis pelo inquérito.

O homem foi abatido em frente da esquadra de polícia do bairro parisiense de Goutte D'Or quando tentou entrar nas instalações.

O Ministério Público tinha confirmado anteriormente relatos de testemunhas segundo os quais o atacante gritou "Allahu Akbar" (Alá é grande), que estava armado com uma faca e envergava um falso colete de explosivos.

O incidente ocorreu no dia do primeiro aniversário do ataque à redação do jornal satírico Charlie Hebdo.

Lusa

  • O vestido de Jennifer Lawrence que está a dar que falar

    Cultura

    Jennifer Lawrence escolheu um vestido arrojado para usar na sessão fotografia do próximo filme e a internet reagiu. Muitas foram as críticas feitas, que davam conta de uma roupa "demasiado reveladora" para o frio que se fazia sentir em Londres. Mas Jennifer Lawrence não deixou passar, criticando os comentários "sexistas" e "nada feministas".

    SIC

  • Proposta criação de 77 mil empregos através de uma descida da TSU
    1:23
  • Governo enfrenta vaga de contestação
    2:35

    Economia

    O Governo enfrenta uma onda de contestação. Guardas prisionais, procuradores, professores, médicos e enfermeiros descontentes ameaçam com greves nos diferentes setores, já nos meses de março e abril.

  • 296 mortos em 2 dias de bombardeamentos em Ghouta Oriental
    2:16
  • Tiroteio na Florida foi o 18.º registado em meio escolar nos EUA desde janeiro
    1:25