sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

ONU estima que Daesh tenha 3500 escravos

O grupo radical islâmico Daesh terá uns 3500 escravos. Uma estimativa revelada esta terça-feira num relatório das Nações Unidas.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Stringer . / Reuters

Estes residentes de povoações do norte da Síria e do Iraque tomadas como parte do auto-proclamado Estado Islâmico e que ficaram à mercê dos jihadistas são sobretudo yazidis - mulheres e crianças - que os combatentes mantêm reféns e usam conforme lhes convém.
Há centenas de crianças a serem disciplinadas pela doutrina radical e treinadas pelos extremistas.
Os factos e os números que constam deste relatório sobre a ação do Daesh na área em que se movem revelam atrocidades e práticas qualificadas como "obscenas". Dão conta de uma realidadade muito violenta, com quase 19 mil mortos civis e mais de 36 mil feridos apenas no Iraque entre janeiro de 2014 e outubro de 2015.
A missão da ONU não tem dúvidas em afirmar que os combatentes do grupo islâmico radical são responsáveis por crimes de guerra e contra a humanidade e possivelmente genocídio de minorias étnicas.

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • NATO vai aumentar luta contra o terrorismo

    Mundo

    O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que os aliados da NATO concordaram esta quinta-feira em aumentar a luta contra o terrorismo e em "investir mais e melhor" na Aliança.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.