sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Coligação internacional vai acelerar ação contra o Daesh na Síria e Iraque

Washington e aliados decidiram hoje "acelerar e intensificar" a luta contra o Daesh na Síria e no Iraque, sem incluir medidas para travar a expansão do grupo extremista na Líbia.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Stringer . / Reuters

Num encontro em Roma, ministros dos 23 países que integram a coligação, liderada pelos Estados Unidos, de combate ao Daesh afirmaram que estão a ser feitos progressos contra o Daesh na Síria e no Iraque e contra as suas fontes de financiamento e de energia.

"Vamos intensificar e acelerar a campanha contra o EI (Estado Islâmico) no Iraque e na Síria, atuar concertadamente para travar as suas ambições globais e tomar todas as medidas necessárias para garantir a proteção dos nossos cidadãos", de acordo com uma declaração conjunta.

"Vamos reafirmar o nosso compromisso de derrotar permanentemente esta organização bárbara", sublinharam.

Na declaração, os 23 responsáveis manifestaram preocupação "pela influência crescente" do Daesh na Líbia, mas limitaram-se a afirmar que os aliados vão "continuar a vigiar atentamente os desenvolvimentos no terreno e prontos para apoiar" o futuro governo de união.

Na abertura da reunião, o ministro dos Negócios Estrangeiros italiano, Paolo Gentiloni, e o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, declararam que o Daesh se está a adaptar à pressão no seu território e a redirecionar os seus esforços para a Líbia e para ataques como os de Paris, Ancara e San Bernardino (Califórnia).

"Não estamos aqui para nos gabar de coisa alguma", advertiu Kerry, depois de afirmar que o Daesh perdeu 40% do território iraquiano e 20% na Síria.

"Se alguma coisa, precisamos de ser mais cautelosos e atentos porque sabemos que quanto mais o EI for atacado nos seus territórios principais, mais tentado fica para continuar as suas atividades terroristas noutro local", acrescentou Gentiloni.

"Estamos a testemunhar uma renovação de atividades na Líbia e na África subsaariana", disse.

No âmbito da coligação, a Itália assumiu a liderança do planeamento das ações contra a ameaça do Daesh, que se encontra a uma curta viagem de barco da costa sul, na e aos arredores da cidade costeira líbia de Sirte.

Com Lusa

  • PSD e CDS admitem chamar António Costa à nova Comissão de Inquérito à CGD
    2:37

    Caso CGD

    PSD e CDS admitem chamar o primeiro-ministro à nova Comissão de Inquérito à CGD. Apesar de ser uma hipótese, a SIC sabe que os dois partidos ainda estão a definir o objeto do inquérito e, por isso, afirmam que é prematuro falar sobre eventuais audições. Seja como for, António Costa voltou esta segunda-feira a dizer que o assunto está encerrado.

  • Venda do Novo Banco terá que ser negociada em Bruxelas
    0:43

    Economia

    A venda do Novo Banco vai ter que ser negociada com Bruxelas, uma vez que o Lone Star planeia agora ficar com 65% da instituição, obrigando o Estado a manter uma posição no banco. O ministro das Finanças lembra que esta também era uma possibilidade mas salienta que o assunto está nas mãos do Banco de Portugal.

  • O atentado na Suécia inventado por Donald Trump
    2:12
  • Primeiro-ministro sueco "surpreendido" com as declarações de Trump
    0:53

    Mundo

    O primeiro-ministro sueco ficou surpreendido com as declarações de Donald Trump, que, no fim de semana, se referiu a um suposto ataque terrorista no país escandinavo, relacionado com a imigração. Stefan Löfven fala na responsabilidade de usar os factos correctamente e diz que é preciso verificar a informação que é divulgada.

  • Angelina emociona-se ao falar da separação de Brad Pitt
    1:25
  • Modelo obrigada a prometer que não volta a arriscar a vida numa sessão fotográfica
    1:46