sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Detidos em Copenhaga quatro suspeitos de pertencer ao Daesh

A polícia dinamarquesa anunciou hoje a detenção de quatro pessoas suspeitas de pertencer ao Daesh. Na operação foram apreendidas armas e munições.

© Scanpix Denmark / Reuters

Os quatro suspeitos, cuja identidade não foi revelada, foram identificados e localizados no âmbito de investigações conjuntas da polícia de Copenhaga e dos serviços internos de segurança e informações (PET).

"Numa das moradas que hoje foram revistadas, descobrimos armas e munições", precisou o inspetor Poul Kjeldsen em conferência de imprensa. Um suspeito que residia nesta morada estava conotado com um grupo criminal da capital que está identificado, precisou a polícia na rede social Twitter.

"As prisões foram possíveis devido aos nossos esforços para neutralizar os indivíduos que são recrutados pelos grupos terroristas nas zonas de conflito na Síria e no norte do Iraque", segundo a polícia.

Os suspeitos, que devem comparecer em tribunal na sexta-feira, arriscam até seis anos de prisão.

A rádio pública dinamarquesa DR afirmou que um dos apartamentos alvo de buscas está relacionado com um homem que surge nos documentos do Daesh revelados em março pela imprensa britânica e alemã, e que incluem nomes, moradas e números de telefone de candidatos a integrar os efetivos combatentes do Daesh e de outros grupos radicais.

A cadeia televisiva Sky News afirmou ter entregado às autoridades britânicas esses dossiês, que contêm 22.000 nomes.

O ministro da Justiça dinamarquês, Soren Pind, manifestou "satisfação" pela ação policial de hoje e comprometeu-se a intensificar o combate ao 'jihadismo' e o recrutamento de combatentes no território do país.

As autoridades calculam que 125 pessoas partiram da Dinamarca em direção à Síria e Iraque para combater ao lado do EI e de outros grupos radicais, e indicam que 62 deles já regressaram.

Lusa

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.