sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Número de mortos nos atentados do Daesh na Síria sobe para 154

Os atentados terroristas do Daesh (autoproclamado Estado Islâmico) contra dois bastiões do regime sírio na segunda-feira causaram pelo menos 154 mortos, de acordo com um novo balanço do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

O número de mortos poderá ainda aumentar uma vez que "vários dos cerca de 300 feridos se encontram em estado crítico", sublinhou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane.

O anterior balanço do OSDH, na segunda-feira, dava conta de 148 mortos nos atentados à bomba nas cidades costeiras sírias de Tartus e Jableh, já reivindicados pelo grupo jihadista Daesh. As vítimas são quase todas civis, incluindo oito crianças, quatro médicos, enfermeiros e estudantes universitários, especificou a ONG que opera na Síria.

Os atentados foram realizados por terroristas suicidas, que conduziram carros armadilhados para duas cidades habitadas maioritariamente por alauitas, a comunidade minoritária a que pertence o chefe de Estado sírio, o Presidente Bashar al-Assad. Tanto Tartus como Jableh tinham sido relativamente poupadas aos estragos de uma guerra que dura há mais de cinco anos na Síria.

O Daesh indicou em comunicado que os atentados foram uma retaliação pelos bombardeamentos realizados pelo regime sírio e pelo seu aliado, a Rússia, e deixou um alerta de que pode estar a preparar ataques ainda piores.

Já o regime sírio responsabilizou a Arábia Saudita, a Turquia e o Qatar - seus adversários na região desde 2011 - pela escalada de tensão que resultou nos atentados de segunda-feira.

"Estes atentados representam uma perigosa escalada por parte dos regimes do ódio e do extremismo em Riade, Ancara e Doha e têm como objetivo (...) fazer com que fracasse (...) um acordo de cessar-fogo" na Síria, indicou o regime de al-Assad numa carta enviada ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e ao Conselho de Segurança das Nações Unidas.

A comunidade internacional condenou os ataques.

Lusa

  • Atentados do Daesh na Síria fazem pelo menos 148 mortos
    1:19

    Daesh

    O Daesh já reivindicou já os atentados desta segunda-feira na Síria. Pelo menos 148 pessoas morreram numa série de ataques suicidas em Tartus e em Jableh, cidades costeiras, feudos do regime de Bashar al-Assad, onde existem bases militares russas.

  • Pelo menos 100 mortos em atentados nas cidades sírias Tartus e Jable

    Mundo

    Vários atentados com carros armadilhados duas cidades-bastião do regime sírio causaram hoje pelo menos 100 mortes e outros tantos feridos, indicou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) num novo balanço. O grupo jihadista Daesh (autoproclamado Estado Islâmico - EI) reivindicou os atentados, noticiou a agência Amaq, ligada à organização terrorista.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • Bruno de Carvalho e Octávio Machado suspensos

    Desporto

    O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o diretor-geral para o futebol, Octávio Machado, foram esta terça-feira suspensos pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015.

  • Corredora exausta é levada ao colo até à meta na meia maratona do amor
    1:06

    Mundo

    Aconteceu este domingo em Filadélfia, EUA. A poucos metros da meta uma corredora exausta é amparada por dois colegas. Mas o cansaço é tanto que fica sem força nas pernas. É quando aparece a terceira ajuda. Um homem volta para trás e leva-a no colo até à meta. A centímetros do fim larga-a para que a corredora possa atravessar a meta pelo seu próprio pé.

    Patrícia Almeida

  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho