sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Ataque surpresa do Daesh na Síria deixa milhares de pessoas encurraladas

Um ataque surpresa do Daesh deixou encurraladas milhares de pessoas assustadas na fronteira síria com a Turquia, indicaram hoje os Médicos Sem Fronteiras (MSF), alertando que a situação é "insustentável".

(arquivo)

(arquivo)

O coordenador regional da organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF), Pablo Marco, disse que estão a aumentar as preocupações de um elevado número de civis que se encontram a menos de cinco quilómetros dos jihadistas do Daesh, que avançam na sua direção.

"Estamos a falar de cerca de 100.000 pessoas que estão sem saída, a poucos quilómetros do Daesh. Estão aterradas, não têm para onde ir", disse Marco numa entrevista por telefone à agência de notícias francesa AFP.

O Daesh avançou na sexta-feira sobre os últimos bastiões rebeldes de Marea e Azaz, na província de Alepo, obrigando milhares a fugir em direção à fronteira norte.

Mas a Turquia manteve a fronteira fechada, deixando os civis encurralados entre a violenta linha da frente do Daesh a leste, a fronteira encerrada a norte, e o cantão autónomo curdo de Afrin a oeste.

"Estas pessoas estão agora confinadas a uma pequena área de quatro por sete quilómetros", precisou Marco.

"A situação desta população é absolutamente insustentável e inaceitável", observou.

As Nações Unidas indicaram que os combates encurralaram até 165.000 civis entre Azaz e a fronteira turca encerrada.

O responsável da MSF disse que muitos dos que estavam a fugir à ofensiva do Daesh nos últimos dias já tinham sido deslocados duas ou três vezes de outros pontos da província.

"Podemos imaginar quão difícil está a ser para eles", comentou.

Mais de metade da população da Síria viu-se obrigada a abandonar a casa desde que o conflito eclodiu, em 2011, tendo quase cinco milhões procurado refúgio nos países vizinhos.

Segundo uma estimativa, cerca de 6.000 pessoas terão escapado aos combates em Marea fugindo em direção à fronteira ou para ocidente, para a região curda de Afrin.

Mas com recursos limitados, as autoridades curdas não poderão acolher um número tão elevado de deslocados, referiu Marco.

Perante o agravamento da situação, o coordenador regional da MSF apelou às autoridades turcas para proporcionarem um refúgio seguro àqueles que fogem ao rápido avanço dos jihadistas do Daesh.

"Sabemos que as autoridades turcas estão muito preocupadas com a situação. Fizeram grandes esforços, como sabem, mas a situação é tão má que justifica a abertura da fronteira", declarou.

Mas apelou também à União Europeia "para fazer a sua parte" para, por um lado, apoiar a Turquia e, por outro, acolher mais refugiados sírios que fogem à violência no país natal.

"Todos os atores envolvidos precisam de encontrar uma solução. Isto é mesmo uma vergonha", concluiu.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15