sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Pelo menos 11 civis mortos em bombardeamentos aéreos na Síria

Pelo menos 11 civis, entre os quais seis crianças, morreram hoje na Síria em bombardeamentos aéreos contra localidades controladas pelo Daesh, informou o Observatório dos Direitos Humanos Sírio.

Arquivo

Arquivo

© Thaier Al-Sudani / Reuters

"Pelo menos 11 civis, entre os quais quatro crianças e quatro mulheres, morreram nos raides aéreos das forças de Damasco ou russas na localidade de Al-Bulil, controlado pelo Daesh na província oriental de Deir Ezzor", afirmou o diretor do Observatório dos Direitos Humanos Sírio, Rami Abdel Rahmane.

A localidade está situada a 30 quilómetros da cidade de Deir Ezzor, principal cidade da província petrolífera com o mesmo nome, controlada pelo Daesh, desde 2013.

A agência noticiosa Sana confirmou a destruição, nos bombardeamentos, de dois locais que armazenavam armas e material militar.

Lusa

  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.