sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Líder do Daesh "está vivo" e continua a liderar o grupo

O porta-voz do Pentágono disse hoje que o líder do autoproclamado Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghadi, "está vivo" e continua a liderar o grupo extremista, apesar de os Estados Unidos "fazerem tudo" para o localizar e eliminar.

"Pensamos que Baghdadi está vivo e que continua a dirigir o grupo Estado Islâmico", disse Peter Cook numa entrevista à cadeia de televisão CNN, acrescentando: "Estamos a fazer tudo o que podemos para o localizar e eliminar. É algo a que consagramos muito tempo e aproveitaremos qualquer ocasião para lhe infligir a pena que merece".

Abu Bakr al-Baghdadi sempre agiu com grande discrição, contrariamente ao grupo que dirige, que multiplica as mensagens e vídeos de propaganda na Internet.

A sua cara apareceu apenas num vídeo do Estado Islâmico desde a proclamação do "califado" no Iraque e na Síria, em junho de 2014, vídeo que foi filmado em Mossul, bastião 'jihadista' no norte do Iraque.

No mês passado, Baghdadi divulgou uma mensagem áudio a apelar aos seus seguidores para defenderem Mossul, alvo de uma ofensiva do exército iraquiano desde outubro.

A sua morte foi anunciada por diferentes fontes várias vezes, mas sempre impossível de confirmar.

Responsáveis norte-americanos têm recusado fazer comentários sobre o paradeiro ou estado de saúde de Baghdadi, mas o porta-voz disse hoje estar convencido de que o "califa" está isolado, devido às pesadas baixas sofridas pelo grupo em consequência dos ataques da coligação internacional anti-'jihadista'.

"Ele tem dificuldade em encontrar conselheiros e confidentes com quem falar, porque muitos deles já não estão entre nós", disse.

A administração norte-americana subiu de 10 para 25 milhões de dólares a recompensa por informações que levem à captura do líder do Estado Islâmico.

A CNN noticiou na quinta-feira, citando um responsável norte-americano não identificado, que os Estados Unidos receberam "nas últimas semanas" informações sobre "movimentos" de Abu Bakr Al-Baghdadi.

A fonte não deu no entanto qualquer pormenor, nomeadamente sobre se as informações são relativas ao Iraque ou a Síria.

Segundo documentos oficiais iraquianos, Baghdadi nasceu em Samarra em 1971 e ter-se-á juntado à resistência que se formou depois da invasão liderada pelos EUA em 2003, tendo chegado a estar detido numa prisão norte-americana no Iraque.

Lusa

  • Doze incêndios mobilizam 2.100 operacionais

    País

    Os 12 incêndios que lavram em Portugal esta manhã mobilizam mais de 2.100 operacionais, numa altura em que os fogos de Pedrógrão Grande e Góis estão dados como dominados, mas continuam a mobilizar a maioria dos meios.

  • Seleção de sub-21 precisa de vencer a Macedónia

    Desporto

    A seleção portuguesa de futebol de sub-21 precisa, hoje, de vencer a Macedónia e de marcar pelo menos quatro golos para poder sonhar ainda com a presença nas meias-finais do Europeu da categoria, que decorre na Polónia.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Trump volta a garantir que não tentou interferir na investigação do FBI
    0:17

    Mundo

    O Presidente dos EUA reitera que não tentou interferir na investigação do FBI em relação às alegadas interferências da Rússia nas eleições presidenciais. Questionado sobre as gravações das conversas que manteve com o ex-diretor da polícia de investigação, James Comey, Donald Trump prometeu esclarecimentos num futuro breve.

  • "A informação pode ter saído depois da hora do exame de Português"
    1:19

    País

    O presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais diz que é preciso aguardar pelas conclusões do relatório sobre a alegada fuga de informação do exame nacional de Português. Jorge Ascensão defende que a investigação deve causar o mínimo de impacto aos alunos que realizaram a prova.