sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Dois suspeitos de ligações ao Daesh presos na Turquia

Dois suspeitos de planearem ataques do grupo extremista Daesh na Europa foram presos na Turquia depois de terem sido interrogados durante 10 dias pela polícia, avança a agência noticiosa local, Anadolu.

Mahamad Laban, 45 anos, de cidania dinamarquesa, e Mohammed Tefik Saleh, 38 anos, de cidadania sueca, terão recebido treino de armas e explosivos na Síria nos últimos três meses.

A agência Anadolu não avançou com pormenores sobre as detenções, mas referiu que a mulher de Saleh foi informada pelas autoridades suecas que o homem chegou à Síria para se juntar ao grupo terrorista em 2014, com as suas duas filhas.

Os dois detidos terão entrado na Turquia com identificação falsa e com o objetivo de se deslocarem a países europeus.

Em janeiro, o ministro turco do Interior, Suleyman Soylu, informou que mais de 52 mil pessoas de 145 países figuravam numa lista de pessoas não autorizadas a entrar no país e cerca de quatro mil pessoas foram deportadas.

Quase 750 pessoas alegadamente relacionadas com o Daesh foram detidas na semana passada na Turquia.

Lusa

  • Prosseguem combates no norte da Síria contra o Daesh

    Mundo

    Rebeldes apoiados pelas forças turcas e militares sírios, auxiliados por brigadas mecanizadas russas, continuam operações contra o Daesh em Al-Bab, no norte da Síria, disse esta sexta-feira o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

  • Trump insiste que vai erradicar o Daesh
    0:56

    Daesh

    Donald Trump voltou a prometer erradicar o terrorismo islâmico radical. Na sede do comando militar para o Médio Oriente, Trump usou o tema para fazer a apologia do decreto anti-imigração.

  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis, conclui avaliação do FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela troika em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),