sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Jihadistas atacam áreas controladas por Damasco e fazem 31 mortos

(Arquivo)

Sana Sana

O grupo extremista Daesh atacou esta quinta-feira na Síria várias áreas controladas pelo regime de Damasco e tomou o controlo de pelo menos uma localidade, numa ofensiva que fez pelo menos 31 mortos.

Segundo as agências internacionais, a ofensiva jihadista ocorreu na província de Hama (centro) e centrou-se em aldeias de maioria ismaili, ramo que pertence aos muçulmanos xiitas.

Informação que aumenta os receios de que os combatentes do grupo radical sunita possam estar a cometer um massacre nestas localidades, como aconteceu com outras comunidades minoritárias na Síria e no Iraque.

As povoações estão localizadas perto de uma autoestrada que liga a capital síria, Damasco, à cidade de Alepo (norte da Síria), mas os órgãos de comunicação social estatais informaram que a circulação não foi afetada pelos confrontos.

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, organização com sede no Reino Unido, os jihadistas tomaram o controlo de várias posições do exército sírio, bem como da aldeia de Aqareb al-Safi, onde foram mortos 19 soldados e 12 civis.

A organização informou que as forças sírias lançaram uma contraofensiva, com o apoio de meios aéreos.

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.