sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Rebeldes controlam 35% de Raqa, ONU com novos acessos para ajuda

Goran Tomasevic

A batalha para expulsar os jihadistas de Raqa, bastião do Daesh na Síria, já permitiu às forças rebeldes controlar cerca de 35% da cidade e à ONU abrir novas rotas para a entrega de ajuda alimentar.

As Forças Democráticas da Síria (FDS), uma aliança de milícias árabes e curdas apoiada pelos Estados Unidos da América, combatem atualmente no centro da cidade, cerca de metade do qual escapa ao controlo dos jihadistas, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Nos últimos dias, chegaram a Raqa e arredores dezenas de camiões com equipamento militar e munições para as FDS, para a ofensiva lançada a 6 de junho contra a cidade proclamada "capital" do Daesh em 2014.

Os progressos no combate aos jihadistas permitiram ao Programa Alimentar Mundial (PAM) entregar ajuda alimentar a zonas rurais dos arredores norte de Raqa pela primeira vez em três anos.

Segundo esta agência da ONU, a ajuda alimentar está agora a chegar mensalmente a quase 200.000 pessoas em oito localidades remotas da província de Raqa.

"Substituir as pontes aéreas por entregas por estrada vai permitir-nos poupar 19 milhões de dólares por ano [16,6 milhões de euros], uma vez que cada camião transporta o mesmo carregamento de alimentos a um custo significativamente mais baixo", explicou Jakob Kern, representante do PAM na Síria.

Com Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.