sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Podemos ganha na Catalunha e CDC cai para 6ª força, indicam sondagens

A plataforma que integra o Podemos na Catalunha, a En Comú Podem, foi a força mais votada naquela região nas eleições gerais espanholas, indica uma sondagem da televisão regional TV3.

Reuters

Reuters

© Albert Gea / Reuters

A coligação - apoiada pela presidente da Câmara de Barcelona, Ada Colau - integra os partidos ICV, Podemos e Barcelona En Comú. De acordo com a sondagem, a En Comú Podem terá obtido 24,9% dos votos, ou seja 12 a 13 deputados.

Em segundo lugar surge a Esquerra Republicana Catalana (ERC), que apoia o processo independentista na Catalunha, com 16,4% dos votos (entre 9 e 11 deputados).

O Ciudadanos consegue o terceiro lugar, com 15,5% dos votos e sete a oito deputados, seguido do Partido Socialista da Catalunha (PSC), com 15,4% e também sete a oito deputados.

Só depois surge a Democràcia i Libertat (DL), a coligação que integra a Convergència Democràtica de Catalunya (CDC), os Demòcrates de Catalunya (DC) e o Reagrupament. A CDC é o partido do ainda presidente regional da Catalunha, Artur Mas, que também defende o processo independentista.

A DL, com Francesc Homs como cabeça de lista, terá obtido seis a sete deputados e 11,1% dos votos.

A Catalunha é a segunda maior circunscrição espanhola, elegendo 47 deputados ao Congresso dos Deputados (Parlamento).

O Partido Popular (PP, no poder) obterá entre 114 e 118 lugares e 26,8% dos votos, indica uma sondagem à boca das urnas hoje divulgada pela televisão pública espanhola TVE.

A mesma projeção refere que o Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) ficará em segundo lugar em número de deputados (entre 81 e 85), mas com menos votos do que o Podemos, que vai conseguir entre 76 e 80 parlamentares.

A sondagem à boca das urnas, mediante 177 mil entrevistas a eleitores, dá ao Podemos 21,7% dos votos e 20,5% ao PSOE.

O Ciudadanos surge em quarto, com 47 a 50 deputados (15,2% dos votos).

A confirmar-se este cenário, os partidos mais votados terão de fazer acordos entre si e com pequenas formações para obterem uma maioria absoluta.

Lusa

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".