sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Podemos ganha na Catalunha e CDC cai para 6ª força, indicam sondagens

A plataforma que integra o Podemos na Catalunha, a En Comú Podem, foi a força mais votada naquela região nas eleições gerais espanholas, indica uma sondagem da televisão regional TV3.

Reuters

Reuters

© Albert Gea / Reuters

A coligação - apoiada pela presidente da Câmara de Barcelona, Ada Colau - integra os partidos ICV, Podemos e Barcelona En Comú. De acordo com a sondagem, a En Comú Podem terá obtido 24,9% dos votos, ou seja 12 a 13 deputados.

Em segundo lugar surge a Esquerra Republicana Catalana (ERC), que apoia o processo independentista na Catalunha, com 16,4% dos votos (entre 9 e 11 deputados).

O Ciudadanos consegue o terceiro lugar, com 15,5% dos votos e sete a oito deputados, seguido do Partido Socialista da Catalunha (PSC), com 15,4% e também sete a oito deputados.

Só depois surge a Democràcia i Libertat (DL), a coligação que integra a Convergència Democràtica de Catalunya (CDC), os Demòcrates de Catalunya (DC) e o Reagrupament. A CDC é o partido do ainda presidente regional da Catalunha, Artur Mas, que também defende o processo independentista.

A DL, com Francesc Homs como cabeça de lista, terá obtido seis a sete deputados e 11,1% dos votos.

A Catalunha é a segunda maior circunscrição espanhola, elegendo 47 deputados ao Congresso dos Deputados (Parlamento).

O Partido Popular (PP, no poder) obterá entre 114 e 118 lugares e 26,8% dos votos, indica uma sondagem à boca das urnas hoje divulgada pela televisão pública espanhola TVE.

A mesma projeção refere que o Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) ficará em segundo lugar em número de deputados (entre 81 e 85), mas com menos votos do que o Podemos, que vai conseguir entre 76 e 80 parlamentares.

A sondagem à boca das urnas, mediante 177 mil entrevistas a eleitores, dá ao Podemos 21,7% dos votos e 20,5% ao PSOE.

O Ciudadanos surge em quarto, com 47 a 50 deputados (15,2% dos votos).

A confirmar-se este cenário, os partidos mais votados terão de fazer acordos entre si e com pequenas formações para obterem uma maioria absoluta.

Lusa

  • Costa desvaloriza ameaça e mantém planos de visita a Angola
    2:27

    Economia

    O governo angolano reagiu duramente à acusação do Ministério público portugues contra o vice-presidente de Angola. Luanda diz que a acusação é um sério ataque à República de Angola que pode perturbar as relações entre os dois paises. António Costa desvaloriza a ameaça e mantém os planos de uma visita a Angola na primavera.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.